Volta Int.: “Fast Travel: a indústria aérea poupará 1.900 M €”

Hosteltur

“Lufthansa fecha acordo laboral com pessoal de terra”
A companhia aérea alemã Lufthansa e o sindicato do setor público e serviços Verdi chegaram hoje a acordo relativamente ao convénio coletivo do pessoal de terra da companhia, composto por mais de 33 mil funcionários.

“Fast Travel: a indústria aérea poupará 1.900 M €”
Oferecer ao passageiro mais opções de self-service no aeroporto como a auto-faturação e a entrega automatizada de equipamento, auto-embarque, etc, não só lhe poupa tempo e lhe dá controlo sobre a sua experiência de viagem, como também representa uma importante poupança para as companhias aéreas. Com este objetivo, a ITA lançou a sua iniciativa Fast Travel que pode representar para a indústria uma redução de custos conjunta de 1.900 milhões de euros. Cada vez mais um maior número de passageiros quer ter maior controlo da sua viagem.

Panrotas

“MSC também reduzirá oferta no Brasil em 2016/2017”
O diretor comercial e de Marketing da MSC Cruzeiros, Adrian Ursilli, anunciou que a empresa virá com um navio a menos na temporada 2016/2017 de cruzeiros no Brasil. “Infelizmente ainda encontramos no Brasil um cenário desfavorável no ambiente tributário, portuário e operacional, com custos muito altos e infraestrutura precária, enquanto destinos no Exterior estão mais convidativos aos cruzeiros, oferecendo condições mais competitivas”, destaca Ursilli, informando que a companhia iniciará operações na China, em abril do próximo ano, e também aumentará a oferta nas Caraíbas.

“OMT: China seguirá sendo maior emissor no mundo”
Principal emissor mundial desde 2012, a China segue viajando para fora e, segundo previsão da Organização Mundial do Turismo (OMT), o país asiático se manterá na primeira posição por algum tempo. Segundo números apresentados pelo diretor da OMT, Marcio Favilla (foto), no primeiro semestre os gastos dos chineses no exterior cresceram mais de 65%.Em sete anos os chineses aumentaram seus gastos em US$ 135 bilhões. Ainda segundo Favilla, o viajante internacional gasta em média US$ 1.000 por viagem.

Travel Daily News

“Tarifas de hotéis em alta a nível global”
Com Londres a manter a sua posição como a capital mais cara para ficar no Reino Unido e na Europa, a 140 libras por noite, Edimburgo também manteve a sua posição como segundo destino mais caro no Reino Unido (116 libras), com um ligeiro aumento de 7% nas tarifas médias dos quartos face ao mesmo período do ano passado. Pela primeira vez, Bristol emerge como terceiro local mais caro em termos de estadia, com um aumento de 17%.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Internacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.