Volta Nacional: “Pestana culpa libra pela baixa de turistas britânicos”

Volta Nacional: “Pestana culpa libra pela baixa de turistas britânicos”

Jornal de Negócios

“Pestana culpa libra pela baixa de turistas britânicos”

A libra permanece mais fraca do que na altura do referendo em 2016, o que está a levar muitos turistas britânicos a procurar destinos mais baratos fora da Zona Euro, refere José Theotónio, CEO do Grupo Pestana. Em 2018, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o número de dormidas de turistas britânicos baixou 5,4%. Esta descida “está relacionada com um conjunto de fatores, incluindo uma libra mais fraca face ao euro”, disse o gestor numa entrevista telefónica à Bloomberg. O colapso do operador Thomas Cook no início deste ano também teve impacto no fluxo de turistas britânicos para os resorts no Algarve e Madeira, acrescentou. Para o Grupo Pestana, que é a maior cadeia de hotéis portuguesa, o mercado britânico caiu 7% na época de 2017/2018 e 3% em 2018/2019.

“TAP estima impacto de 12 milhões com obras na Portela”

A TAP estima que a perda de receita associada às obras no aeroporto de Lisboa no primeiro semestre de 2020 se situe em 12 milhões de euros, “fruto da redução ou eliminação dos voos vendidos com ligação em Lisboa e redução do número de passageiros que voam com a TAP, no âmbito do seu modelo de operação como companhia de ‘hub’ baseado no aeroporto Humberto Delgado”, disse o chief operating officer, Ramiro Sequeira, à Lusa. A transportadora, acrescenta, procedeu “à reorganização da sua rede, de forma a acomodar da melhor forma possível esta alteração e reduzir, ainda que não eliminando totalmente, o impacto financeiro”.

“EuroAtlantic foi comprada”

A empresa portuguesa euroAtlantic foi comprada pela sociedade I-Jet Aviation PT, que é controlada pelo empresário Abed El Jaouni e pela companhia Njord Partners, por um valor não divulgado, de acordo com um comunicado ontem divulgado.

Público

“Portugal volta a conquistar o ‘óscar’ de melhor destino turístico do mundo”

Nem Brasil, Dubai, Índia, Grécia, Estados Unidos ou a vizinha Espanha. Entre mais de duas dezenas de países candidatos, a vitória foi para Portugal, que renova assim o título de melhor destino turístico do mundo. É o terceiro ano consecutivo que o país vence os World Travel Awards, cuja gala final mundial se realizou ontem em Mascate, Omã.

Jornal Económico

“Turismo do Interior precisa de âncoras para fixar pessoas e reter turistas”

Sobre o Turismo do Interior, no entender de Licínio Pina, presidente do Grupo Crédito Agrícola, o grande desafio que se coloca na atualidade é conseguir dilatar o tempo de estadia. “Temos de criar um conjunto de âncoras para que se aumente a estadia, muito além de um fim de semana, sobretudo com atividades mais ligadas ao mundo rural, porque os turistas gostam de lidar e conhecer bem as comunidades locais.

“Golfe gera receita de 1.500 euros por turista no país”

“Em entrevista ao JE, o líder da entidade diz que a prática do golfe cria um impacto de receitas diretas e indiretas no país de dois mil milhões de euros. (…) Um inquérito recente da Associação de Turismo do Algarve (ATA) revelou que, normalmente, por cada visita de um turista que vem jogar golfe fica uma receita em Portugal na ordem dos 1.500 euros.

Jornal de Notícias

“Onze espaços fazem parte da rota do turismo industrial”

A rota turística do património industrial de Famalicão foi ontem lançada. É constituída por três museus, quatro adegas, duas empresas têxteis, uma fábrica de chocolate e o centro de investigação e desenvolvimento da indústria têxtil e vestuário, Citeve. O objetivo é promover e valorizar a dinâmica industrial do concelho.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.