Volta Nacional: “Pestana. Hoje não falta dinheiro em Portugal para bons projetos”

Volta Nacional: “Pestana. Hoje não falta dinheiro em Portugal para bons projetos”

Correio da Manhã

“Passadiço permite visita a monumento natural”

A construção de um passadiço no rio Mondego, em Penacova, vai permitir a visita a um dos monumentos mais singulares do País: a Livraria do Mondego, uma importante formação rochosa que se assemelha a uma estante com livros. Numa primeira fase, o projeto vai ser desenvolvido apenas na margem esquerda, mas insere-se num plano mais vasto que visa aproximar as populações do rio.

“Algarve. Preocupação atinge o turismo”

“Existe preocupação, mas não dramatismo”, afirma Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, em relação às consequências da saída do Reino Unido da União Europeia. O mercado britânico é responsável por mais de 30% das dormidas nos hotéis do sul em Portugal. “Se a libra desvalorizar muito, isso é mau, porque o poder de compra dos ingleses fica mais baixo e, por isso, vão gastar menos, mas não vale a pena sermos pessimistas”, realça.

Diário de Notícias

“Jardim e mais lugares para estacionar na Penha de França”

A EMEL já iniciou as obras de demolição na encosta da Penha de França e prevê que no final de verão esteja terminado um parque que vai criar 86 novos lugares de estacionamento, a dividir entre as freguesias da Penha de França e de Arroios. O espaço destinado aos automóveis vai ocupar dois socalcos da colina, num projeto que contempla também um espaço de jardim.

Jornal de Notícias

“Passear num arco 65 metros acima do rio”

São 262 degraus, mas é um esforço que vale a pena. A vista do cimo do arco da Ponte as Arrábida, a 65 metros de altura, tem tudo para se tornar numa das atrações da cidade. A ideia partiu de Pedro Pardinhas, da Porto Bridge Climb, que aproveita as características da ponte para proporcionar um passeio um passeio único a portugueses e turistas.

Económico
“Agências de Viagens: Portugal vai ser o país mais afetado pela desvalorização da libra”
A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) classificou hoje a saída do Reino Unido da União Europeia como uma “notícia muito triste”, mas mesmo assim acredita que 2016 vai ser “o melhor ano de sempre”. “A Inglaterra é o nosso maior mercado, estamos muito expostos”, lamentou o presidente da associação, Pedro Costa Ferreira, em declarações à Lusa, salientando que, em termos de turismo, Portugal vai ser o país mais afetado pela desvalorização da libra porque sai mais caro aos ingleses virem de férias para o mercado português.
SOL
“Hotéis esgotados no Algarve”
Depois de anos de contenção, os portugueses estão a viajar mais. O destino de eleição é o sul do país, que tem procura até fora da época alta. Setor antecipa crescimento de 5%.
Expresso
“Hoje não falta dinheiro em Portugal para bons projetos”
Com o grupo Pestana a preparar o “maior crescimento de sempre” – investimento de 170 milhões de euros em mais 20 hotéis nos próximos quatro anos – o seu presidente, Dionísio Pestana, fala do “salta da visibilidade” que vai trazer a marca CR7, dos hotéis que está a construir em parceria com Cristiano Ronaldo. O primeiro CR7 abre já esta semana na Madeira, terra natal do jogador de futebol e do hoteleiro. Segundo Dionísio Pestana, “os bancos estão abertos a financiar bons projetos turísticos”, porque sabem hoje “quem são os investidores sustentáveis que não os fizeram acumular prejuízos”.
“Pinto vai dar consultoria a Pedrosa”
Presidente da TAP será consultor em transporte aéreo da sociedade do dono do grupo Barraqueiro.
“Fundo da ECS vai acelerar a venda de hotéis recuperados”
Depois da Herdade dos Salgados no Algarve, o Palácio do Governador em Lisboa é o novo cartão de visita do fundo de turismo gerido pela ECS Capital. Segundo Fernando Esmeraldo, presidente executivo da ECS Capital, na área do turismo existem “várias cisas em carteira e mandatos de venda em curso para uma série de unidades hoteleiros esperando já ver resultados em 2016”.
“Turismo mexe com imobiliário dos centros históricos”
O fluxo de turismo está a ter impacto no mercado imobiliário. Para Kilian González Fontboté, o novo diretor de vendas e expansão ibérica da rede imobiliária Engel&Voelkers, a recuperação de imóveis para acolher visitantes é uma realidade nos centros históricos de Portugal e Espanha e os dois países são ainda “lugares seguros” para o investimento e atraem cada vez mais investidores.
Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.