Volta Nacional: “Portugal: Mais de 21 milhões de turistas em 2017”

Volta Nacional: “Portugal: Mais de 21 milhões de turistas em 2017”

Jornal de Notícias

“Deco recebeu 300 queixas contra a Ryanair”
A Deco recebeu, até ontem, 301 queixas de passageiros afetados pelo cancelamento de voos de setembro e outubro da Ryanair. O jurista da associação, Paulo Fonseca, disse à Lusa que as queixas se referem a pedidos de indemnização e compensação por danos causados, nomeadamente despesas de alojamento.

“Turismo criou 60 mil empregos em 18 meses”
Em cerca de ano e meio, o turismo terá criado 60 mil postos de trabalho, segundo estimativa da CTP. A crescer há três anos consecutivos, o setor nota agora falta de recursos humanos e de políticas para manter a competitividade do país que preparem o próximo ciclo recessivo.

“Porto: aula especial no Dia do Turismo”

Correio da Manhã

“Turismo: é difícil acreditar no regresso ao topo”
A Nazaré já foi nº1 do turismo em Portugal. Nos anos 50/60 do século passado, doutores de Coimbra, proprietários beirões, ganadeiros do Ribatejo e latifundiários alentejanos usavam como seldo de mundanidade umas férias de praia na vila do Sítio. Ou em alternativa na Figueira da Foz. Nessa altura, Portugal contava os turistas por milhares enquanto Itália, França ou Espanha já os contabilizavam aos milhões.

“Pestana investe 50 milhões”
O grupo Pestana vai construir um novo hotel na Quinta da Amoreira, no Alvor.

Jornal i

“Air France vai deixar de existir em Portugal para dar lugar à Joon”
Os millennials, que atualmente têm entre 18 e 35 anos, têm estado a transformar a economia e a obrigar alguns setores tradicionais a reinventarem-se. Agora, a mudança parece ter batido à porta da aviação. O anúncio começa com uma nova rota de inverno para o Porto e um reforço da capacidade para Lisboa. Mas o que era a Air France em Portugal dá um passo em frente.

“Aeroportos: taxa de segurança mais baixa”

“Portugal: Mais de 21 milhões de turistas em 2017”
Portugal está preparado para ter o melhor ano de sempre no setor do turismo. Até ao final do ano deverá receber mais de 21 milhões de turistas, o que compara com os 19,1 milhões do ano passado. Segundo as contas da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o objetivo é crescer 10% em relação a 2016 e, neste momento, o número está a crescer acima da meta estabelecida na Estratégia Turismo 2027, na qua,l tinha sido definido um crescimento anual de 8%. Também as previsões da hotelaria são otimistas. De acordo com a AHP, 2017 “será o terceiro ano de crescimento, o que vai permitir consilidar resultados”.

Negócios

“Turismo pesa 45% de todas as intenções de PIN”
Desde que o estatuto de Projeto de Potencial Interesse Nacional (PIN) foi criado, em 2005, que os investimentos no setor do turismo sempre foram uma prioridade. Uma análise às diferentes listagens disponibilizadas pela AICEP e Ministério dos Negócios Estrangeiros – dos projetos em acompanhamento, finalizados ou arquivados – mostra que 45% dos projetos estavam ligados à área do turismo, contando geralmente com uma forte componente imobiliária. Dos 32 projetos em acompanhamento pela Comissão de Apoio ao Investidor dos PIN, 14 são da área do turismo. Intenções que se centram sobretudo a sul do Tejo e de que são exemplo a Marina de Ferragudo em Lagoa promovida por Vasco Pereira Coutinho, o Parque Temático Vasco da GAma em Albufeira lançado por uma empresa francesa ou o desenvolvimento turístico de Vila Formosa em Odemira, um empreendimento de 700 hectares no estuário do Mira.

“Dificuldades chegaram aos PIN do turismo”
Foram considerados PIN mas, quando já estavam no terreno, o seu desenvolvimento acabou por ser perturbado. A recuperação por terceiros tem sido um caminho frequente. É o caso do Falésia d’El Rey, aprovado logo em 2005, da Crissier Portuguesa, que acabou por se declarar insolvente, sendo que o fundo Aquarius, gerido pela Oxy Capital, tomou conta do projeto e mudou-lhe o nome para West Cliffs.

Diário de Notícias

“Boom no turismo faz disparar emprego no setor”
Apesar de ainda não receber o fluxo de turistas dos seus congéneres europeus – Portugal acolhe pouco mais de 10% dos visitantes anuais de França – o turismo nacional é o que mais cresce na Europa, de acordo com o mais recente barómetro da OMT. Isso reflete-se no emprego. Os dados do INE mostram que no primeiro trimestre de 2017 estavam quase 305 mil pessoas empregadas em atividades turísticas, mais 14,8% do que no mesmo período de 2016. O setor representava, nos primeiros três meses do ano, 6,5% de todo o emprego nacional, com uma subida de 0,6 pontos percentuais em relação ao peso do turismo no período homólogo de 2016.

“Portugueses escolhem Alentejo. Estrangeiros o resto do país”
O Alentejo é a única região onde os portugueses superam os estrangeiros em número de dormidas relacionadas com o turismo. No conjunto do país, os naturais do Reino Unido, Alemanha e Espanha são quem mais noites passa em Portugal. Trio que muito tem contribuido para o aumento constante de dormidas de cidadãos estrangeiros.

“Mais 3,3 milhões de entradas no Top 10 dos monumentos”
Os números mostram claramente o impacto do turismo na procura dos monumentos nacionais: nos últimos cinco anos, os 10 mais visitados em Portugal registaram mais 3,3 milhões de entradas pagas. Só no universo da Direção-Geral do Património Cultural, as verbas das bilheteiras subiram 4,4 milhões de euros entre 2014 e 2016.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.