Volta Nacional:”TAP desinveste no Porto mas low cost ajudam”

Volta Nacional:”TAP desinveste no Porto mas low cost ajudam”

jornal i

“TAP. Companhia vende viagens a prestações no Brasil”

A TAP foi privatizada em novembro do ano passado e desde a entrada do consórcio de Humberto Pedrosa e David Neeleman – que tem no Brasil a companhia aérea Azul – este mercado passou a ganhar destaque. Uma das novidades é a possibilidade de pagar as viagens em dez prestações, em juros.

Público

“Rui Moreira ameaça TAP com um apelo ao boicote”

Há uma escalada na “guerra” da Câmara Municipal do Porto à estratégia anunciada pela TAP para este ano, no que envolve o Aeroporto Sá Carneiro, e o presidente da autarquia, Rui Moreira, garante que as duras cr´ticas que tem feito não vão parar. “Não é o momento de inverter a estratégia”, disse ontem na reunião do executivo camarário, em que deixou claro que as próximas batalhas podem chegar ao boicote.

“Turistas chineses gastam mais de 600 euros em compras quando visitam Portugal”
Norte-americanos e moçambicanos passaram a estar entre as cinco nacionalidades que mais desembolsam.

Jornal de Notícias

“TAP desinveste no Porto mas low cost ajudam”

Entre 2009 e 2015, a quota de mercado da TAP no Porto caiu para metade. Em Lisboa, manteve-se praticamente inalterada. É o resultado, dizem os especialistas em transportes, do sucesso das companhias low-cost na região. “A TAP não está a encerrar rotas por motivos políticos, mas empresariais”, diz Francisco Carballo-Cruz, professor da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. “A TAP está a encerrar rotas nas quais o nível de concorrência é muito elevado. Ter as low cost a dominar num aeroporto é muito pouco atrativo para as companhias convencionais. O passageiro é racional. Com um diferencial de preço tão grande, vai sempre decidir-se por uma low cost”, explica.

Correio da Manhã

“Moradores preparam queixa contra “novo Dubai” no Jamor”

“Querem fazer um novo Dubai à portuguesa na Cruz Quebrada. Vão destruir a costa e aumentar o risco de cheias nesta área. A breve trecho, vamos avançar para a via judicial”, afirmou ao CM Carlos Branco, da Associação Vamos Salvar o Jamor, que desde dezembro já angariou cerca de 5 mil euros através de uma campanha de financiamento coletivo na internet. O empreendimento vai contar com um arranha céus e uma marina junto à foz do rio Jamor.