WTTC alerta que encerramento de fronteiras pode comprometer seriamente a recuperação económica global

WTTC alerta que encerramento de fronteiras pode comprometer seriamente a recuperação económica global

Categoria Advisor, Política

O World Travel & Tourism Council (WTTC) alertou os Governos de todo o Mundo que o encerramento de fronteiras poderia comprometer seriamente a recuperação económica global.

O WTTC pede às autoridades que adotem uma abordagem cuidadosamente equilibrada e introduzam medidas localizadas, e somente quando necessário. Tal evitaria restrições gerais, impediria a frágil recuperação económica e não prejudicaria o setor de viagens e turismo já prejudicado. O WTTC apoia a abertura de corredores aéreos, de cidade para cidade, entre centros financeiros globais, como Londres, Frankfurt e Nova Iorque, o que ajudaria a reiniciar as viagens de negócios que são cruciais para iniciar a recuperação económica.

Infelizmente, vários países ao redor do Mundo enfrentam picos locais de coronavírus, o que reforça um repensar de vários Governos que agora precisam considerar a possibilidade de reintroduzir novas e difíceis medidas anti-viagem. De acordo com as estatísticas mais recentes da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, o número mundial de mortes por Covid-19 ultrapassou as 606 mil, enquanto o número de casos confirmados de coronavírus já ultrapassou mais de 14,5 milhões.

Gloria Guevara, presidente e CEO do WTTC, reitera: “Os governos não devem impedir o acesso a outros países na sua totalidade. Somente medidas regionais de fronteira devem ser impostas, se essenciais, para que a recuperação de toda a economia de um país não seja comprometida no futuro.”

“A imposição de restrições em todo o país é um instrumento contundente que não beneficia ninguém; nem viajantes, nem população local, a economia ou o setor de viagens e turismo. Tais medidas poderiam desfazer os esforços significativos para reviver as viagens e o turismo, que recentemente mostraram sinais encorajadores de emergir da pandemia e que, por sua vez, trouxeram esperança a milhões de pessoas em todo o mundo que dependem do setor para as suas atividades e enquanto meios de subsistência.

A adoção de uma abordagem mais cuidadosamente equilibrada para combater estrategicamente os picos de coronavírus com medidas locais, em vez de encerramentos por todo o país, conterá o Covid-19 e preservará a tentativa de um país de alavancar a sua economia, continuando a atrair viajantes para áreas não afetadas. As viagens e turismo são essenciais para impulsionar essa recuperação económica, gerando um em cada quatro de todos os novos empregos no ano passado. O Nosso Relatório de Impacto Económico de 2020 mostra que, durante 2019, o setor apoiou um em cada 10 empregos (total de 330 milhões) e fez uma enorme contribuição de 10,3% para o PIB global.

É perfeitamente possível combater o Covid-19 e apoiar a recuperação económica no setor de viagens e turismo ao mesmo tempo. Instamos os governos a considerar apenas os bloqueios locais como a chave para abrir as portas para um caminho bem-sucedido. Restaurar as viagens de negócios, especialmente via voos transatlânticos, é essencial para ajudar a impulsionar a recuperação económica. A pesquisa do WTTC mostra que, para dois dos principais centros de negócios do mundo, os viajantes de negócios respondem por um dólar americano em cada três gastos em Nova Iorque e uma libra esterlina em cada quatro gastos em Londres”, prossegue a CEO do WTTC.

O WTTC também pede que normas de viagem Covid-19 mais consistentes fossem adotadas pelos países europeus para combater a confusão dos viajantes e turistas que enfrentavam uma variedade desconcertante de diferentes tipos de conselhos sobre regras de viagem. A organização teme que a desigual distribuição de restrições nas fronteiras nacionais do Covid-19 possa impedir os viajantes e suprimir o ressurgimento do setor. No entanto, aprendendo com a resposta a surtos de pandemia do passado, os governos poderiam evitar adiar a tão necessária recuperação económica.

No entanto, o WTTC alerta que, a menos que os governos europeus façam um esforço maior para alinhar as suas políticas, tal fará com que a frágil recuperação desacelere, colocando em risco 16 milhões de empregos em viagens e turismo.

Uma pesquisa do WTTC mostrou que cada aumento de 2,7% em viajantes geraria ou recuperaria um milhão de empregos no setor. Os governos que trabalham em conjunto com as medidas coordenadas certas podem estimular um aumento de viagens em até 27%, recriando 10 milhões de empregos em viagens e turismo.