WTTC lança plano coordenado para salvar o turismo em outubro

WTTC lança plano coordenado para salvar o turismo em outubro

Categoria Advisor, Internacional

Após inúmeras conversações com vários governos de todo o mundo e uma carta assinada por 120 CEO aos chefes de Estado do G7, a WTTC acredita que poderia estabelecer-se um plano coordenador internacionalmente para salvar as viagens e o turismo antes de meados de outubro.

O organismo pede uma liderança internacional para salvar o setor em dificuldades e proteger milhões de postos de trabalho ameaçados pelos controlos fronteiriços e as medidas de quarentena, assim como pela menor procura dos turistas de negócios e de lazer.

A WTTC, que afirma que é necessário um consenso internacional urgente sobre os testes a turistas para restabelecer a confiança nas viagens, espera que a União Europeia aprove um acordo internacional numa reunião dos ministros de Turismo da UE no próximo dia 28 de setembro, e mais amplamente por todo o grupo de países do G20 no início de outubro.

O plano internacional coordenado centrar-se-á nos seguintes pontos:
– Assegurar um amplo acordo internacional sobre os protocolos de testes normalizados, incluindo a não aplicação de quarentena aos turistas;
– Cada governo garanta a proteção dos turistas e assegure que se reservam recursos para repatriar os turistas;
– Estabelecimento de um acordo sobre um sistema de semáforos para informar acerca dos números de Covid-19 com o fim de garantir a coerência mundial, com períodos de quarentena reduzidos ou eliminados em função dos casos superiores ou inferiores a 25/100.000 habitantes durante um período de 14 dias;
– Condução de corredores aéreos para retomar as viagens internacionais e de negócios.

Os acordos esperam reverter as restrições de viagens assim como as quarentenas gerais prejudiciais que levaram à quebra das viagens internacionais e do número de visitantes.

Gloria Guevara, presidente e diretora executiva da WTTC, considera que “estamos muito motivados pelo facto de os governos estarem dispostos a aceitar o desafio de eliminar estas restrições prejudiciais, e apoiamos plenamente a recente promessa do governo espanhol, que parece estar disposto a introduzir uma política de testes para os turistas que saem das Ilhas Canárias para ajudar à criação de corredores de viagem”.