Lisboa também é uma “smartcity”

Categoria Business, Empresas

A smart, uma marca claramente urbana, identificou 21 cidades a nível mundial que poderão ser alvo do seu apoio para se tornarem numa smartcity. Lisboa destaca-se de imediato, ao preencher os requisitos que a marca considera alvo de intervenção: a elevada densidade de viaturas, ruas estreitas e sinuosas, estacionamento escasso e apertado, bem como por uma crescente regulamentação ambiental, que afeta essencialmente os veículos mais poluentes. São estes os principais critérios de seleção que a smart considera que definem uma cidade como “smartcity”.

Lisboa reúne todos eles, tal como Roma, Barcelona, Berlim, São Francisco, cidade do México ou Pequim. Cidades com cariz histórico e com grande crescimento na área do turismo e demográfico.

Assim, e segundo o comunicado da Smart, o desafio passa por encontrar soluções viáveis que permitam aos seus habitantes continuar a viver em alegria mantendo um dos aspetos mais importantes para os seus cidadãos, a mobilidade. Sob o mote, “a smart ama Lisboa” (smartloves Lisboa), a Marca de Estugarda pretende dinamizar a cidade através de várias ações que começam já em setembro e se prolongam ao longo do próximo ano, demonstrando sempre a mais-valia do uso da smart dentro dos centros urbanos.

Temas como a economia de combustível, através de automóveis altamente eficientes e com baixas emissões poluentes, mobilidade alternativa através de veículos elétricos ou novas propostas de mobilidade urbana, como o carsharing, e acima de tudo a facilidade de estacionar, estão entre as características que definem a smart e que Lisboa precisa para o seu futuro.

No projeto “smartloves Lisboa” estão integrados eventos e ações de sensibilização que irão trazer animação à cidade de Lisboa. Desde concertos, corridas de carrinhos de rolamentos e exposições em vários pontos de Lisboa, passando ainda por ações de comunicação inéditas na cidade, a smart vai demonstrar todo o seu empenho na resolução de alguns dos problemas que a cidade enfrenta atualmente.