Opinião: “Voar mais responsável: comprometidos e a caminho”

Opinião: “Voar mais responsável: comprometidos e a caminho”

Por Boris Darceaux, Diretor-Geral da Air France-KLM para a Península Ibérica

Limitar cada vez mais a dependência dos combustíveis fósseis e seus derivados faz parte de um processo de reinvenção do negócio com o qual nós, enquanto um dos principais players europeus da aviação, estamos empenhados há muitos anos – para conciliar crescimento e proteção ambiental. Numa indústria responsável por 2-3%* das emissões de CO2 de origem humana, temos ainda como objetivo unir forças para tornar o voar mais sustentável.

O nosso posicionamento e enfoque de longa data na sustentabilidade da viagem aérea, postura que fez com que fossemos um dos três líderes do setor listados no Dow Jones Sustainability Index durante 14 anos consecutivos (12 dos quais na primeira posição), levou ao desenvolvimento de inúmeras medidas para lidar com esse desígnio de longo-prazo, sendo duas das mais recentes: (i) a eliminação de 1.300 toneladas de plástico de uso único nos voos da Air France até ao final de 2019, ou (ii) o compromisso da KLM de desenvolver e adquirir 75.000 toneladas de combustível de aviação sustentável anualmente por um período de 10 anos.

No primeiro caso, a Air France anunciou, em junho passado, o fim do caminho para talheres, copos, misturadores, etc. em todos os seus aviões, através da eliminação de 210 milhões de itens de plástico descartáveis até ao final de 2019 e a sua substituição por alternativas bio. Como foi sublinhado na altura, “isso equivale a 100 milhões de copos de plástico substituídos por copos de papel, 85 milhões de talheres de plástico por outros feitos de materiais e embalagens de base biológica ou 25 milhões de palitos de mexer em plástico por outros misturadores de madeira”. Além disso, devemos realçar que a companhia aérea deixou de fornecer palhinhas a bordo em 2015 – uma redução de 1,3 milhão de objetos em plástico.

Quase ao mesmo tempo, a KLM comprometeu-se, por um período de 10 anos, com o desenvolvimento e aquisição de 75.000 toneladas de combustível de aviação sustentável por ano, sendo a primeira companhia aérea do mundo a investir em combustível de aviação sustentável a esta escala. Num projeto coordenado pela SkyNRG, líder de mercado global em combustível de aviação sustentável (SAF), vai resultar na primeira fábrica dedicada da Europa à produção de SAF em Delfzijl, Holanda, a primeira do género no mundo. Com inauguração em 2022, vai produzir 100.000 toneladas/ano, ajudando a companhia a reduzir as suas emissões de CO2 em 270.000 toneladas/ano e contribuindo para o plano mais amplo da indústria Smart and Sustainable.

Numa era marcada por mudanças climáticas, que nos preocupam a todos, estamos fortemente focados em fazer a diferença. Por essa razão, estamos empenhados em reduzir as nossas emissões de CO2 [alcançámos antecipadamente em 2018 o nosso objetivo para 2020 de reduzir em 20% as emissões de CO2 (CO2/ passageiro /km) – face a 2011]. Para atingir esse objetivo, estamos a renovar regularmente a nossa frota ou a patrocinar investigação que ajude a melhorar o desempenho das nossas aeronaves (ex.: desenvolvimento de aviões elétricos ou motores híbridos). Ao mesmo tempo, fornecemos aos clientes informações detalhadas sobre a pegada de CO2 das suas viagens e formas de compensar uma parte dessa pegada.

Há espaço para viagens mais sustentáveis na aviação. Exige compromisso, trabalho, diálogo e uma visão conjunta. Porém, nesta indústria, o caminho sempre foi o motor para a realização dos seus sonhos. Hoje, uma mais vez, estamos comprometidos com o futuro das viagens sustentáveis. Juntos.

04

Este artigo foi publicado na edição 323 da Ambitur