Volta Nacional: “Espanha e Irlanda arrecadam impostos da Airbnb em Portugal”

Volta Nacional: “Espanha e Irlanda arrecadam impostos da Airbnb em Portugal”

Jornal de Notícias:

“Espanha e Irlanda arrecadam impostos da Airbnb em Portugal”

Tem dezenas de milhares de casas registadas por todo o país e faturam milhões de euros por ano em Portugal. Mas a atividade da Airbnb em território português não rende nada aos cofres do Estado. A sede fiscal europeia da plataforma fica na Irlanda, que cobra uma taxa de IRC reduzida (12,5%). É para lá que vai a totalidade dos impostos relativos à gestão dos alojamentos.

“Quase 30 anos de intenções que não saem da gaveta”

A Ponte Maria Pia, entre Porto e Gaia, está sem uso há 28 anos, quando ficou sem comboios. Ao longo dos anos, ideias e projetos têm sido discutidas pelas autarquias de ambas as margens, mas até hoje nenhum deles reuniu consenso. Questionada pelo JN, a Câmara do Porto é breve nas suas explicações e diz que mantém o interesse na revitalização dessa zona, estando neste momento a ser estudada uma proposta de intervenção que será oportunamente comunicada.

“Restrições a mulheres suspensas para facilitar o turismo”

Algumas restrições para as mulheres que viajam no reino muçulmano ultraconservador foram suspensas pela Arábia Saudita para facilitar o turismo. Os novos requisitos permitem que as mulheres aluguem um quarto sem a presença de um guardião masculino. Também os casais estrangeiros podem agora partilhar um quarto de hotel sem uma prova de casamento.

“Turismo no Porto não resolve crise nas galerias de arte”

No ano 2000, Portugal tinha, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), 479 galerias de arte, 19 das quais estavam sediadas no Porto. Em 2011, ano em que a cidade teve mais galerias, eram 81. No ano passado, o número desceu para 52, enquanto no país mais que dobrou em relação a 2000: há agora 1023 galerias de arte no país. Apesar dos turistas, galeristas garantem que nunca venderam tão pouco.

Jornal I:

“Sintra: Do IC19 à Pena são 15 minutos de tuktuk (a gasolina)”

Alemão, francês, inglês e holandês. Nas filas para apanhar o autocarro do Palácio da Pena para a vila de Sintra, ouvem-se dezenas de línguas. É difícil entender o que cada um diz, mas uma coisa é certa: pelo tom, não parecem nada satisfeitos com o tempo de espera. A Câmara Municipal de Sintra diz estar empenhada em melhorar este problema, com a implementação de várias medidas.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.