Lufthansa e sindicato dos pilotos Vereinigung Cockpit chegam a acordo até 2022

Lufthansa e sindicato dos pilotos Vereinigung Cockpit chegam a acordo até 2022

Categoria Business, Transportes

No seguimento de negociações, a Lufthansa e o sindicato dos pilotos Vereinigung Cockpit (VC) chegaram a um acordo no que refere todos os assuntos pendentes que estavam por resolver. Numa declaração de intenções, os parceiros da negociação acordaram em disposições prudentes para pagamentos transitórios, planos de reformas, acordos-quadro sobre condições de emprego e o acordo coletivo de salário para pilotos da Lufthansa, Lufthansa Cargo e Germanwings.

A recomendação desenvolvida em fevereiro pelo mediador Gunter Pleuger para o acordo coletivo de salário era uma das partes das considerações. Mas o novo acordo fez uma aceitação formal das recomendações da arbitragem desnecessária. Assim, a Lufthansa não vai manter o plano anunciado de colocar nos 40 aviões adquiridos recentemente pessoal fora do acordo coletivo do Grupo (KTV).

Nos próximos meses, os detalhes dos vários acordos coletivos serão trabalhados, refere o grupo, em comunicado. O acordo providencia uma redução suplementar do balanço através da conversão dos esquemas de reformas. Em troca dos elementos do acordo para a redução de custos, em 325 aviões será colocado pessoal nas operações de voo segundo com o KTV em vigor em fases até 2022. Assim, a Lufthansa poderá contratar de novo futuros pilotos para estágios nos próximos anos e criar perspetivas de carreira para pilotos com um grande número de posições para futuros comandantes. Foi também alcançado um acordo recíproco para renunciar a greves durante as negociações que será formalizado num acordo coletivo de salário que durará até 2022.

Bettina Volkens, chefe do Departamento de Assuntos Jurídicos e de Recursos Humanos da Deutsche Lufthansa AG referiu que, “com esta declaração de intenções conseguimos finalmente avançar. O caminho está agora aberto para um acordo abrangente com o Vereinigung Cockpit em todos os temas que estavam por resolver. Isto não é somente o final da disputa coletiva mais longa da história da nossa empresa como também criou um pacto sustentável que durará até 2022 – lança as bases para uma nova parceria social com o Vereinigung Cockpit. O caminho que percorremos deixou marcas em todas as pessoas envolvidas, mas no interesse da Lufthansa, dos nossos funcionários, dos nossos clientes e dos nossos acionistas, valeu a pena. Quero hoje agradecer todas as pessoas que tornaram este acordo possível. Temos muito trabalho à nossa frente porque queremos implementar com o sindicato este pacto nos acordos coletivos o mais rapidamente possível.”