António Costa destaca o simbolismo da ligação aérea Lisboa – Pequim na relação entre os dois países

António Costa destaca o simbolismo da ligação aérea Lisboa – Pequim na relação entre os dois países

“Esta ligação aérea é a nova rota da seda do seculo XXI”: foi desta forma que o primeiro-ministro de Portugal António Costa classificou hoje, a abertura da nova rota aérea entre Lisboa e Pequim, na República Popular da China, durante o seu lançamento que decorreu na capital portuguesa.

“Há 500 anos quando nos encontramos pela primeira vez foi pelo uso de caravela, agora podemos passar a encontrar-nos com mais frequência através do avião. Este estreitamento de relações simboliza aquilo que tem sido a evolução das relações entre Portugal e China ao longo dos últimos anos”, salientou o governante português.

Além disso, António Costa destacou o “investimento chinês” que se tem realizado em Portugal, exaltando “o enorme potencial do futuro” das relações entre os dois países.

Relativamente à nova rota, o primeiro-ministro  afirmou estar certo “que a intensificação da relação entre os dois países, exigirá primeiro, um aumento das frequências e depois quem sabe a diversificação das rotas para outras cidades portuguesas, designadamente para o Porto”.

A ligação da companhia aérea chinesa Beijing Capital Airlines, do grupo Hainan Airlines (HNA) que se inicia no próximo dia 26 de julho, será direta entre a capital da República Popular da China e Lisboa, sendo que o voo terá origem na cidade de Hangzhou e posterior escala em Pequim. Em simultâneo, a Beijing Capital Airlines irá também inaugurar a rota Pequim – Macau, podendo assim aumentar a conectividade entre países.

Esta ligação, irá contar com três frequências semanais, às terças, quintas e sábados até ao final do verão, operada com um A330-200, aeronave com capacidade para 260 lugares. No inverno, passará a operar mais uma frequência ao domingo, passando a quatro voos por semana. Ao todo, até ao final de 2017 serão disponibilizados cerca de 40.560 lugares.

Esta cerimónia contou ainda com a presença do presidente do comité permanente da Assembleia Popular Nacional da República Popular da China, Zhang Dejiang, que iniciou ontem uma visita oficial de três dias a Portugal.

Ricardo Ramos Gonçalves