Embratur afirma que adiamento ou cancelamento dos Jogos Olímpicos não está em discussão

Embratur afirma que adiamento ou cancelamento dos Jogos Olímpicos não está em discussão

A Embratur – Instituto Brasileiro de Turismo direcionou um comunicado aos seus parceiros e aos operadores turísticos reafirmando “que não está em discussão a hipótese de adiamento ou cancelamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016”.

“O Instituto, como os demais órgãos governamentais brasileiros, pauta-se pelas recomendações da Organização Mundial de Saúde – OMS, que, no dia 28 de maio, considerou que uma eventual mudança dos Jogos devido à doença, não teria impacto no aumento ou na diminuição do vírus, que circula em 60 países e territórios.  Não há, portanto, razão de saúde pública para adiar o evento, sendo que as medidas de prevenção que continuam a ser sugeridas visam reduzir a presença de mosquitos transmissores da doença”, afirma a Embratur.
Segundo o comunicado, antes do Mundial da FIFA de 2014, investigadores da Universidade de São Paulo concluíram que, no mínimo, três turistas estrangeiros iriam contrair a dengue (transmitida pelo mesmo vetor do Zika), entre os 700 mil visitantes de outros países que acompanharam a competição. No final, constatou-se que os atingidos foram somente esses três previstos. Num outro estudo semelhante, os mesmos investigadores concluíram que as possibilidades de um estrangeiro contrair o Zika nas Olimpíadas são muito remotas. Além disso, o período de realização do evento, o inverno brasileiro, é, historicamente, a época do ano de menor incidência de doenças transmitidas por mosquitos.
A estimativa da Embratur é que entre 300 a 500 mil estrangeiros visitem o Brasil para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, nos meses de agosto e setembro, vão realizar-se assim, defende a Embratur , com total atenção à saúde dos participantes da maior festa do desporto mundial.