“2016 não foi tão bom quanto era expectável”

“2016 não foi tão bom quanto era expectável”

Categoria Business, Transportes

É assim que Fernando Fagulha, diretor de Vendas e Marketing da Europcar em Portugal, define o ano que chegou ao fim, apesar de ainda não ter resultados definitivos. Num encontro informal com a imprensa, que decorreu hoje, dia 5, em Lisboa, o responsável explica que em número de alugueres e de dias, verificou-se um crescimento, mas com quebra de receita através do RPP “porque este ano houve muito mais frota disponível no mercado, uma forte concorrência da parte das low-cost e novos players no mercado”. O que, naturalmente, afetou a qualidade do revenue por dia. Para já não falar, adianta Fernando Fagulha, do aumento dos custos dos aeroportos, que praticamente duplicou.

Por tudo isso, não hesita em afirmar que “2016 não foi tão bom quanto era expectável, havia uma forte expectativa”. E recorda que hoje há também um tipo de turismo diferente, que praticamente não recorre ao aluguer de automóveis. Pelo que “o número de entrada de passageiros através dos aeroportos não vai refletir-se da mesma maneira nas empresas de rent-a-car”.

Inês Gromicho