À mesa com… o Chef Martin Berasategui

À mesa com… o Chef Martin Berasategui

Tinha apenas 13 anos quando a cozinha se tornou o seu mundo. Começou por ajudar no restaurante da família em San Sebastián, Espanha, lugar onde nasceu. Aos 21 anos tornou-se responsável pelo restaurante e, cinco anos depois, ganhava a sua primeira estrela Michelin.

Martin Berasategui não conseguiu dizer “não” ao Grupo SANA quando o convidaram para estar à frente do FIFTY SECONDS, um restaurante com uma vista a 360º sobre Lisboa e sobre o Tejo, no topo do Myriad Hotel, na Torre Vasco da Gama. É ali que se sente “o cozinheiro mais feliz do mundo” e se tornou o único chef com 10 estrelas Michelin no nosso país.

Qual o seu prato preferido … “Todos aqueles feitos com amor e produtos frescos. Quem me conhece sabe que sou um desfrutador e que me divirto em todos os lugares e restaurantes. Tento sempre cozinhar para a minha família e amigos, mas também desfruto quando cozinham para mim e me dão o melhor de si”.

Qual o primeiro prato que cozinhou, quando e para quem … “Recordo-me do primeiro prato que fiz com a minha mãe e a minha tia: uma sopa de alho. Seguramente não estaria muito boa, mas eu tinha 15 anos e lembro-me da ilusão que lhe coloquei seguindo todos os conselhos que me deram”.

Onde vai buscar inspiração para cozinhar … “Inspiro-me muito caminhando pela parte antiga de San Sebastián, pelo porto, pelo passeio de La Concha, pelo Mercado de La Brexta, com os meus produtores, pescadores, açougueiros, etc”.

Um restaurante a não perder e porquê … “O restaurante Zuberoa de Oiartzun (Guipuzcoa), em Espanha. Ali o meu amigo Hilario Arbelaitz e a sua família deleitam-te com o seu grande talento”.

O último hotel onde esteve hospedado e que impressões ficaram … “O hotel Myriad By Sana, em Lisboa, é uma maravilha na qualidade do serviço, decoração e infraestrutura, ninguém se sente em casa como ali”.

O que não pode faltar numa cozinha … “A inspiração, as ganas de seguir criando e o trabalho perseverante”.

Quais os ingredientes que nunca faltam nos seus pratos … “Muitíssimos, mas um dos primeiros que me vem à cabeça é o Azeite Virgem Extra”.

O que não pode faltar a um Chef para ter sucesso … “Para ter êxito é necessário ser nobre, humilde e perseverante. Trabalhar hoje mais do que ontem e amanhã mais do que hoje. E claro, contar com uma grande equipa”.

O que prefere cozinhar… “Não tenho preferências. Gosto de trabalhar com todo o tipo de produtos, aproveitando quando estão no seu melhor momento que é quando dão o melhor de si”.

Qual a melhor cozinha para si e porquê … “Todas as cozinhas são boas se forem bem feitas, se se cuidar do produto local, se houver equilíbrio e se forem feitas com amor. Eu digo sempre que a minha cozinha tem raízes mas está aberta ao mundo”.

 FIFTY SECONDS
O FIFTY SECONDS abriu portas no dia 6 de novembro de 2018 e, desde então, são muitos os que “viajam”, em 50 segundos de ascensor, até ao topo da Torre Vasco da Gama para se deliciarem com dois menus à escolha: o Menu Fifty Seconds (120€) e o Menu Degustação (160 €) — que mais do que um conjunto de pratos, são uma combinação de sabores do mundo, cosmopolitas e sofisticados, retirados dos melhores produtos que a natureza, e Portugal, oferecem.

Este artigo foi publicado na edição 318 da Ambitur.