Alentejo de olhos postos no mercado norte-americano

Alentejo de olhos postos no mercado norte-americano

O mercado norte-americano representa uma quota de mercado de 6% dos turistas internacionais no Alentejo, algo que surpreende os responsáveis da região, que começam a apontar baterias nesta direção, esperando melhores resultados. Em declarações ao Ambitur.pt, Vítor Silva, presidente da Agência de Promoção Turística do Alentejo, afirma este “é um mercado que se está a desenvolver muito para o Alentejo, mais do que o nosso trabalho, e não tenho nenhum problema em dizê-lo”. De acordo com o responsável, o trabalho da Agência para este mercado tem-se cingido a receber os jornalistas, que muito têm contribuído para a projeção do destino. “Precisamos agora de fazer um trabalho mais próximo, apesar de este não ser um mercado normal, pois é quase um continente. Temos aqui de identificar as rotas diretas para Portugal e depois identificar o público-alvo”, acrescenta Vítor Silva.
O Alentejo fez ainda duas ações específicas, no mercado norte-americano, no ano transato: uma em Nova Iorque, para um público selecionado que juntou os melhores clientes da TAP, outra em Newark, para a comunidade lusa. Para o entrevistado, “este é um mercado em que temos de pôr o olho”.
Em termos de quota de mercado internacional, para a região do Alentejo, a maior fatia é de Espanha com 19%, o mercado francês representa 15%, o brasileiro 14%, nos 10% estão o alemão, inglês, holandês e belga (9%) e o mercado norte-americano com 6%. Vítor Silva destaca ainda que “trabalhamos em todos os mercados com a colaboração da TAP, desde há muitos anos, num espírito fabuloso. A TAP é o melhor promotor do país, assim como o Turismo de Portugal”.

Pedro Chenrim