INE: Aeroportos nacionais com quebra sem precedentes no movimento de passageiros

INE: Aeroportos nacionais com quebra sem precedentes no movimento de passageiros

No segundo trimestre de 2020, aterraram nos aeroportos nacionais 5,8 mil aeronaves em voos comerciais, o que representa uma variação homóloga de -90,7% (-12,7% no 1ºT 2020), segundo os dados divulgados hoje pelo INE. O volume de passageiros movimentados (embarques, desembarques e trânsitos diretos) nos aeroportos nacionais totalizou 434,0 mil passageiros, representando um decréscimo de 97,4% em relação ao trimestre homólogo (-15,4% no 1ºT 2020).

O movimento de carga e correio nos aeroportos nacionais ascendeu a 22,0 mil toneladas (-57,4%, +4,2% no trimestre anterior), tendo o conjunto embarcado diminuído 62,1% (+7,1% no 1ºT 2020) e o desembarcado decrescido 52,6% (+1,1% no 1ºT 2020).

No 2º trimestre de 2020, o aeroporto de Lisboa foi responsável por mais de metade do movimento total de passageiros (56,2%, 243,9 mil), tendo registado um decréscimo de 97,1% (-13,5% no 1ºT 2020). O aeroporto do Porto registou o segundo maior volume de passageiros movimentados do país (20,1%, 87,4 mil), com um decréscimo de 97,5% (-15,6% no 1ºT 2020).

No aeroporto de Faro registou-se um movimento de 36,6 mil de passageiros (8,4% do total), que correspondeu a uma redução de 98,8% (-24,8% no trimestre anterior).

Nos aeroportos de Ponta Delgada e do Funchal os decréscimos foram -96,1% e -98,8%, respetivamente (-15,7% e -16,1% no 1ºT 2020, pela mesma ordem).

No 2º trimestre de 2020, o tráfego internacional movimentou 342,5 mil passageiros (-97,5%, -13,8% no 1ºT 2020), tendo concentrado 78,9% do tráfego total. O peso do movimento internacional ascendeu a 98,1% em Faro, 93,9% no Porto e 91,4% em Lisboa.

Analisando o número de aeronaves aterradas e o número de passageiros desembarcados diariamente no segundo trimestre de 2020, e comparando com o período homólogo, mantém-se visível o impacto da pandemia COVID-19 e das medidas adotadas ao nível do espaço aéreo a partir do início da segunda quinzena do mês de março, verificando-se uma recuperação muito ligeira na segunda quinzena de junho.

Principais países de origem e de destino
Analisando os países de origem e destino dos voos com passageiros, e tendo como base o número total de passageiros embarcados e desembarcados no trimestre em análise, verifica-se que, no 2ºT de 2020, os cinco principais países de origem coincidem com os cinco principais países de destino, apesar de ocuparem diferentes posições no ranking.

A Alemanha ocupa a 1ª posição (4ª posição no 1ºT 2020) e França a 2ª posição (1ª posição no 1ºT 2020), quer como origem, quer como destino. O Reino Unido, que no trimestre anterior ocupava a 2ª posição enquanto principal origem e destino dos voos, apresenta-se neste trimestre na 3ª e 5ª posição, respetivamente. Os maiores decréscimos foram verificados para a origem e o destino Reino Unido (-97,9% e -98,6%, respetivamente) e França (-97,4% e -97,8%, pela mesma ordem).