“Lisboa está apta para receber qualquer perfil de visitante”

“Lisboa está apta para receber qualquer perfil de visitante”

Numa altura em que o turismo começa a dar sinais de reabertura, e após o  apelo aos portugueses para fazer férias cá dentro, a Ambitur.pt quis saber junto das Entidades Regionais do Turismo quais são as ofertas turísticas de cada uma para o visitante usufruir durante uma visita à cidade ou região.

O que se “renova constantemente e que tem sempre muito a descobrir” é a região de Lisboa. Quem o diz é Vítor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa (ERT Lisboa), que não tem dúvidas quanto às mais-valias da capital portuguesa: “Maior oferta, mais restauração, mais equipamentos turísticos, mais espaços verdes e um crescente número de iniciativas culturais e de lazer”. Estes são apenas alguns dos exemplos de como Lisboa “está cada vez mais apta a oferecer uma experiência à medida do desejo de cada turista”, disponibilizando uma oferta “única” e “rica” mas, ao mesmo tempo, “cada vez mais transversal e complementar”, algo que que já faz parte da estratégia da ERT Lisboa.  O responsável sublinha as “valências únicas de cada um dos pólos turísticos do Plano Estratégico para o Turismo da Região de Lisboa” como o Tejo, Lisboa Centro, Lisboa Oriente, Belém-Ajuda, Sintra, Cascais, Ericeira, Mafra, Arrábida, Costa da Caparica, Arco Ribeirinho Sul ou a Reserva Natural do Estuário do Tejo”.

Do programa de captação do mercado interno, focado para os meses de julho, agosto e setembro, as sugestões são transversais a toda a região: “Estamos a criar pacotes promocionais que incluem alojamento para duas noites, dois ‘Lisboa Cards’ e experiências diversas”, diz Vítor Costa. As atividades incluídas neste novo produto serão, por exemplo, os circuitos de arte pública em Lisboa e Loures, uma tour “Lisboa Antiga” a pé, um jantar numa casa de fados, um passeio de barco para observação de golfinhos em Setúbal, uma visita a uma adega de Palmela, Colares, Bucelas ou Azeitão ou um passeio por Mafra, Cabo da Roca, Sintra ou Cascais.

“Relação privilegiada com o Rio Tejo e a omnipresença do mar”

Não há um segmento estipulado para quem visita Lisboa: “Está apta para receber qualquer perfil de visitante”, diz o responsável, destacando, a título de exemplo, que as famílias “costumam ficar na região quatro a sete noites” e, para este segmento,  as experiências são “inúmeras”, podendo “ser vividas de forma muito distinta”, consoante as preferências.

Para uma experiência mais cultural, as famílias podem visitar “monumentos ou museus” no centro de Lisboa (em Belém ou na Ajuda, por exemplo), em Mafra ou Sintra. “Alguns (monumentos ou museus) de traça arrojada exibem acervos de grande interesse e partilham com o visitante peças raras ou, mesmo, únicas”, garante Vítor Costa.

Já para quem não descura uma experiência mais ligada à natureza, o leque de opções é ainda maior: por um lado, existem os “passeios pelos vários parques e reservas” e os “locais para observação de espécies animais e vegetais únicas” na Arrábida, Sado, Reserva Nacional do Tejo e nos parques de Mafra, Cascais e Sintra; por outro, a “extensão de areal das inúmeras praias” da Costa da Caparica, Ericeira ou Arrábida”. A tudo isto, juntam-se as condições certas para a prática de modalidades desportivas como trekking, equitação nos centros equestres da região ou os “cursos de mergulho” ou “batismo de vela” nas marinas e centros náuticos, numa “relação privilegiada com o Rio Tejo e com a “omnipresença” do mar”.

Cada vez mais “rica e variada” é também a gastronomia de Lisboa que encanta qualquer visitante: “Do bacalhau confecionado de mil maneiras às sardinhas assadas, passando pelo choco frito e o célebre pastel de nata”, a experiência fica ainda mais enriquecedora com a “extensa lista de vinhos de reconhecida qualidade”, sublinha o dirigente.

Com uma “oferta turística diversificada e de elevada qualidade”, Vítor Costa é perentório: “Há muito para ver e fazer. A Região é muito rica em experiências únicas nos mais variados produtos turísticos de referência.

Onde obter mais informações: