Observatório do Turismo de Lisboa: subida dos preços médios em Lisboa no mês de abril

Observatório do Turismo de Lisboa: subida dos preços médios em Lisboa no mês de abril

O Observatório do Turismo de Lisboa acaba de divulgar os dados relativos à cidade e à região durante o mês de abril.

Cidade de Lisboa: subida dos preços médios
As unidades hoteleiras da Cidade de Lisboa apresentaram, em abril, aumentos nos preços médios por Quarto Vendido (Average) e por Quarto Disponível (RevPar), comparativamente ao período homólogo de 2018. No que concerne ao Average, são as de quatro estrelas que apresentam maior variação face ao ano anterior, com um incremento na ordem dos 6,2%, atingindo os 100,86 euros.

Já os hotéis de três e de cinco estrelas aumentaram os preços em 2,5%, tendo chegado aos 84,44 e 178,87 euros, respetivamente. Ao olhar para o RevPar, verifica-se que as unidades de quatro estrelas são também as que apresentam maior subida de preço (2,4%), seguidas das de três estrelas (2,1%) e das de 5 estrelas (0,7%).

Quanto à ocupação, notou-se uma ligeira quebra, no compêndio geral dos hotéis, na ordem dos 2,4%, passando de 86,03%, em abril do ano passado, para 83,94%, em abril de 2019. Apesar disso, as unidades hoteleiras de três estrelas mantêm uma ocupação na ordem dos 90%, as de quatro estrelas continuam acima dos 85% e as de cinco estrelas muito próximas dos 75%.

Região de Lisboa: Melhor desempenho nos hotéis de três estrelas
Em abril, as unidades de três estrelas da Região de Lisboa revelaram uma taxa de ocupação superior à atingida no mesmo período de 2018, chegando aos 87,98%. Ao contrário desta tipologia de hotel, que apresentou uma subida de 1,4% na ocupação, os hotéis de quatro e de cinco estrelas apresentaram ligeiras quebras, face ao período homólogo, na ordem dos 2,7% e 1,6%, respetivamente, embora tenham continuado acima dos 80% e dos 70%.

Os dados estatísticos mostram que, em termos de preço médio por Quarto Vendido (Average) e por Quarto Disponível (RevPar), o cenário é idêntico ao da cidade, considerando que o compêndio geral das unidades hoteleiras apresentou subidas em ambos os indicadores. O Average dos hotéis de três estrelas chegou aos 81,07 euros (+3,0%), os de quatro estrelas ascenderam aos 92,57 euros (+6,1%) e os de cinco estrelas aos 176,12 euros (+2,2%). No caso do RevPar, os valores aumentaram 4,4%, 3,2% e 0,6%, nas unidades de três, quatro e cinco estrelas, respetivamente.

Golfe: Greenfee cresce, receita desce
O número de voltas realizadas diariamente por sócios, em abril, nos campos de golfe da Região de Lisboa, aumentou 14,1%, face ao período homólogo de 2018, atingindo as 28,3. O cenário é diferente no caso dos não sócios, que realizaram uma média de 44,3 voltas por dia, o que significa um decréscimo de 16,2% face ao ano anterior. Quanto aos resultados por volta verifica-se um crescimento na GreenFee, na ordem dos 0,9%, e uma quebra de 1,0%, na receita total. No que se relaciona com as nacionalidades dos jogadores, os dados estatísticos revelam que os portugueses continuam representados em maioria (31,0%), seguidos dos escandinavos (25,6%) e dos britânicos (12,8), totalizando cerca de 70% do total.

Cruzeiros: abril com resultados positivos
Abril foi um mês positivo para o Porto de Lisboa, tanto em termos de navios como de passageiros, tendo-se registado aumentos em todos os indicadores. Os passageiros totais ultrapassaram o patamar dos 80 mil, chegando aos 83.575, mais 26,9% que em abril de 2018. Foram, contudo, os em turnaround que apresentaram maior crescimento, na ordem dos 83,9%, atingindo os 17.734. Quanto aos passageiros em trânsito, cresceram de 56.205 para 65.841, o que corresponde a um aumento de 17,1%.

Em termos de navios, foram 50 os que passaram em Lisboa, durante o mês de abril, mais um que no período homólogo.

Índice por região: average e RevPar sobem face a março
A cidade e a Região de Lisboa exibiram, em abril, índices de Average (Preço Médio por Quarto Vendido) e de RevPar (Preço Médio Por Quarto Disponível) superiores aos registados no mês anterior. O índice de Ocupação foi, contudo, inferior, em ambos os casos. Na Cidade, o Average passou de 1532, em março, para 1538, e o RevPar aumentou de 1993 para 1996. Por seu turno, a ocupação diminuiu de 1300 para 1298.

Relativamente à Região, verifica-se que o índice Average chegou aos 1526 e o de RevPar aos 2028, enquanto, em março, tinham ficado pelos 1521 e 2024, respetivamente. Já na ocupação, esta passou de 1333 para 1329.