OMT destaca potencial do turismo interno para ajudar a recuperação económica dos destinos

OMT destaca potencial do turismo interno para ajudar a recuperação económica dos destinos

Categoria Advisor, Política

À medida que as restrições globais a viagens começam a diminuir, os destinos ao redor do Mundo estão focados no crescimento do turismo doméstico. Muitos destinos oferecem incentivos para encorajar as pessoas a explorar os seus próprios países. De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), o turismo doméstico retornará mais rapidamente do que as viagens internacionais, representando uma oportunidade para os países desenvolvidos e em desenvolvimento recuperarem das repercussões sociais e económicas da pandemia.

Dada a importância do turismo doméstico, a agência especializada das Nações Unidas publicou a terceira das suas Notas Informativas sobre “Turismo e Covid-19 – Compreender o turismo doméstico e aproveitar as suas oportunidades”. Dados da OMT mostram que cerca de 9 mil milhões de viagens de turismo doméstico foram feitas em todo o mundo em 2018, ou seja, seis vezes mais do que o número de chegadas de turistas internacionais (1,4 mil milhões em 2018). A publicação inclui as diferentes medidas pró-ativas de promoção do turismo doméstico em destinos de todo o mundo, desde a oferta de férias gratuitas aos trabalhadores até à entrega de vales e outros incentivos às pessoas que viajam no seu país.

Turismo interno para impulsionar a recuperação

O secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, disse: “A OMT estima que o turismo doméstico recuperará mais rápido e mais forte do que as viagens internacionais. Dada a magnitude do turismo doméstico, isso ajudará muitos destinos a recuperarem das consequências económicas da pandemia, salvaguardando empregos, protegendo meios de subsistência e permitindo o retorno dos benefícios sociais que o turismo oferece.”

A nota informativa mostra ainda que, na maioria dos destinos, o turismo doméstico gera receitas superiores ao turismo internacional. Nos países da OCDE, o turismo doméstico representa 75% do gasto total com turismo, enquanto na União Europeia, o gasto com turismo doméstico é 1,8 vezes maior do que o gasto com turismo receptivo. Globalmente, os maiores mercados domésticos de turismo em termos de gastos são os Estados Unidos com quase um trilião de dólares, a Alemanha com 249 mil milhões, o Japão com 201 mil milhões, o Reino Unido com 154 mil milhões e o México com 139 mil milhões de dólares.

Iniciativas para impulsionar o turismo interno

Considerando o valor do turismo doméstico e as tendências atuais, um número crescente de países toma medidas para aumentar os seus mercados. Esta nova nota informativa apresenta estudos de caso de iniciativas destinadas a estimular a procura interna. Tal inclui iniciativas com foco em marketing e promoção, bem como incentivos financeiros. Exemplos de países que estão a tomar medidas específicas para aumentar o número de turistas domésticos incluem:

– Em Itália, a iniciativa Bonus Vacanze oferece às famílias com renda de até 40 mil euros contribuições de até 500 euros para gastar em alojamento em turismo interno;

– A Malásia alocou 113 milhões de dólares em vouchers de desconto em viagens, bem como uma redução de impostos pessoais de até 227 dólares para despesas relacionadas ao turismo doméstico;

– A Costa Rica mudou todos os feriados de 2020 e 2021 para segundas-feiras, para que os cidadãos possam aproveitar fins de semana prolongados para viajar pelo país e estender as suas estadas;

– França lançou a campanha #CetÉtéJeVisiteLaFrance (“Este verão, eu visito França“), que destaca a diversidade de destinos em todo o país;

– A Argentina anunciou a criação de um Observatório de Turismo Interno para entender melhor o perfil dos turistas argentinos;

– A Tailândia subsidiará cinco milhões de noites de alojamento em hotel a 40% das diárias normais para até cinco noites.