Praias Fluviais: Um refúgio natural no nosso país

Praias Fluviais: Um refúgio natural no nosso país

Entre o Centro e o Norte do país, passando pelas Aldeias do Xisto, existem “pequenos paraísos” escondidos, banhados por rios, ribeiras e albufeiras, em águas “límpidas e areais intocados”. À procura de novas experiências “aquáticas” para este verão, a Ambitur apresenta-lhe uma seleção de algumas das melhores praias fluviais, que atraem cada vez mais admiradores da Natureza e de um Portugal por descobrir.

Centro de Portugal: Simbiose com a Natureza
No Centro de Portugal espreitam “águas límpidas e areais intocados”, para lá da vegetação. As praias fluviais são um dos “grandes trunfos” e dos “principais ativos turísticos” da região, segundo o Turismo Centro de Portugal.

Praia Fluvial da Aldeia do Mato

Ali encontra-se toda uma faixa atlântica, que se estende desde Ovar a Torres Vedras, constituída por 81 praias – 55 costeiras e 26 interiores – que durante esta época balnear vão exibir bandeira azul, como prova da sua qualidade. A Praia da Mira, na região, é a praia há mais tempo distinguida com esta bandeira em todo o mundo. São 36 praias fluviais distinguidas no País, pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), das quais 26 estão na região Centro.

A entidade regional de turismo afirma que as praias fluviais são “espaços requalificados, que evidenciam excelentes condições de segurança, conforto e tranquilidade”, capazes de proporcionar bons momentos em “perfeita simbiose com a natureza e de uma beleza de cortar a respiração”.

Os turistas procuram cada vez mais “o contacto direto com a natureza, com a autenticidade das paisagens e aldeias, com as suas tradições”, o que muitas vezes não se encontra nas zonas costeiras. Assim, as praias fluviais são uma alternativa e ainda que sejam muito procuradas pelo mercado nacional, são cada vez mais os estrangeiros que as procuram.

Ao contrário de outras regiões, “conseguimos oferecer a quem nos visita praias interiores verdadeiramente paradisíacas” com espaço e tempo para usufruir da Natureza, um verdadeiro “luxo no século XXI”, atenta o Turismo Centro de Portugal. A entidade não esquece a complementaridade destes oásis com a cultura, história e gastronomia dos sítios onde se encontram.

A não perder no Centro (Bandeira Azul)

Praia Fluvial da Barragem de Santa Luzia (Pampilhosa da Serra) – Construída entre dois grandes rochedos, é uma das zonas paisagísticas mais deslumbrantes do concelho de Pampilhosa da Serra e de todo o território das Aldeias do Xisto. O local é bastante aprazível para canoagem, passeios pedestres, escalada, pesca, atividades náuticas, ou simplesmente deixar-se estar a banhos na piscina flutuante. Além disso, os visitantes mais ativos podem ainda usufruir do Centro de BTT e até de um halfpipe de skate.

Praia Fluvial de Carvoeiro (Mação) – Em plena localidade de Carvoeiro, a cerca de 25 minutos de Mação, rodeada por pinheiros altos e verdes, longe da poluição, esta praia tem um extenso espelho de água, bons acessos, piscina para crianças, iluminação noturna, parque de merendas e churrasqueira.

Praia Fluvial de Loriga

Praia Fluvial da Loriga (Seia) – Em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, está situada no Vale glaciar de Loriga, cujos vestígios ainda hoje são visíveis. Com águas puras e cristalinas que brotam de uma nascente na serra, esta praia está rodeada por um ambiente preservado, numa área de relevo acidentado e grande beleza natural. Oferece a possibilidade de praticar diversas atividades de aventura e passeios pedestres.

Praia Fluvial da Peneda/Pego Escuro (Góis) – Situada na Vila de Góis e com acesso rápido ao centro histórico da vila, possui uma vasta área relvada e uma esplanada nas margens do Rio Ceira. Enquadrada por uma paisagem imponente com serras majestosas, esta praia insere-se numa área de grande beleza natural onde nem falta uma ilha de areia no meio do rio a dar uma nota pitoresca.

Praia Fluvial da Aldeia do Mato (Abrantes) – Situada na albufeira da Barragem do Castelo de Bode, é rodeada por uma natureza exuberante, onde predomina o verde e o aroma do pinhal. Inclui piscinas flutuantes e parque de campismo, assim como uma panóplia de atividades e desportos náuticos como o remo, canoagem ou windsurf. Quem quiser conhecer melhor toda a zona abrangida pela albufeira, poderá percorrer este grande lago num circuito turístico de barco.

Aldeias do Xisto: a maior concentração de praias fluviais
No interior do país, encontram-se 27 Aldeias do Xisto cujo território é banhado por “inúmeros rios, ribeiras e albufeiras” que potenciaram a “maior concentração de praias fluviais” de Portugal, dando origem à Rede de 50 Praias Fluviais das Aldeias do Xisto.

Praia Fluvial de Fernandaires

Um conjunto das “melhores zonas balneares de rio” que dotadas de “águas cristalinas, paisagens naturais deslumbrantes, ar puro, muita frescura e tranquilidade”, propiciam locais de lazer e bem-estar que contribuem para a permanência dos visitantes, argumenta a Rede das Aldeias do Xisto.
As praias e piscinas fluviais, das aldeias, distribuem-se uniformemente pelo território e têm tipologias distintas: nas águas de um rio ou albufeira, junto a uma Aldeia do Xisto ou num local recôndito, com cascatas ou ondas.

Segundo a Rede de Aldeias do Xisto, a qualidade da água e do meio envolvente é um dos “principais critérios de seleção destas praias” que se localizam em zonas de património ambiental e em áreas naturais classificadas. Este ano, são 16 praias fluviais das Aldeias a receber Bandeira Azul e oito a Medalha de Ouro da associação ambiental Quercus.

Agora os visitantes podem também planear mais facilmente a sua estadia e “percurso pelas praias fluviais” através da plataforma de reservas exclusiva bookinxisto.com.

A não perder nas Aldeias do Xisto (Medalha de Ouro Quercus)

Praia Fluvial de Fernandaires (Vila de Rei) – Rodeada por altas montanhas, densamente arborizadas com pinheiros bravos e medronheiros, a Praia Fluvial de Fernandaires apresenta aos seus visitantes uma extensa e esplêndida bacia de água, proveniente da barragem de Castelo de Bode. Devido à profundidade da água, este local é dotado de uma piscina flutuante, assim como bar, balneários e estacionamento. A frescura das sombras provenientes dos pinheiros oferece a oportunidade de repousar ou até mesmo fazer campismo selvagem.

Praia Fluvial do Sesmo

Praia Fluvial do Sesmo (Castelo Branco) – Localizada na belíssima aldeia do Sesmo, no extremo Oeste do concelho de Castelo Branco, próxima da Aldeia do Xisto de Sarzedas, esta praia é rodeada por montes e vales característicos da zona do Pinhal Interior. A praia é formada a partir de um açude construído numa pequena ribeira afluente do rio Ocreza.

Praia Fluvial da Fróia (Proença-a-Nova) – A água límpida e cristalina das nascentes da ribeira de Fróia, a frescura e a beleza natural do espaço são os principais traços desta praia. Além de um largo passeio, a praia de Fróia tem uma zona de areal com um pequeno parque infantil. Junto à praia está também instalado um Centro de BTT.

Praia Fluvial do Alvoco das Várzeas (Oliveira do Hospital) – De água cristalina, é envolta por um parque de merendas com frondosas árvores que proporcionam um ambiente verdejante e pleno de frescura. Situa-se num vale na margem da ribeira de Alvoco, junto à belíssima ponte medieval, e com uma vista magnífica para a serra da Estrela.

Praia Fluvial do Pessegueiro – Inserida numa envolvência aldeã, tipicamente serrana, da Aldeia do Pessegueiro. Atravessada por uma ribeira de águas límpidas e cristalinas, a Aldeia e a sua praia fluvial são, com toda a certeza, um postal vivo e um retrato fiel da natureza no seu estado puro. Nesta praia, pode usufruir de momentos de lazer e diversão no antigo lagar, hoje recuperado, e os mais ativos percorrer o Caminho do Xisto de Pessegueiro.

Norte de Portugal: Pequenos Paraísos
Já a Norte as praias fluviais, além de dinamizarem as economias locais, são também “pequenos paraísos”. Para Luís Pedro Martins, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), as praias devem ser “integradas numa ótica de desenvolvimento de fluxos turísticos internos e da sua articulação com outros bens e serviços disponíveis”.

Praia Fluvial de Adaúfe

Desta forma, e seguindo esta estratégia, as regiões têm apostado nos seus recursos endógenos, procurando “valorizar as margens dos seus rios, criando zonas balneares fluviais, diversificando e enriquecendo a sua oferta turística, tentando atrair visitantes nos meses mais quentes”. Afinal, a Norte de Portugal há “pequenos paraísos onde as pessoas desfrutam de algumas horas de sol e praia longe do oceano”, descreve o responsável.

Curiosamente, são os concelhos desertificados que estão a ter uma cada vez maior capacidade de “atração e a assumirem-se como uma mais-valia turística e económica. São cada vez mais as praias fluviais no Norte de Portugal com a distinção de Bandeira Azul ou Praia de Ouro”, nota Luís Pedro Martins, explicando que “algumas estão ainda inseridas em deslumbrantes cenários naturais ou em pitorescas aldeias o que aumenta ainda mais a vontade de as visitar e de explorar os seus arredores. As praias fluviais transformam-se em atrativos turísticos, estratégicos, de entretenimento, de diversão e de ócio como atrativos dinamizadores da economia local”, considera.

Mas é preciso encontrar a harmonia entre “o melhor da natureza e bem-estar”, atingindo um equilíbrio “entre os utilizadores destes espaços e as atividades que aí se desenvolvem, permitindo a sua fruição e a preservação dos valores naturais, de modo a que seja possível gerar um turismo verdadeiramente sustentável”.

A não perder no Norte

Praia Fluvial do Azibo (Macedo de Cavaleiros): Localizada em zona de Paisagem Protegida, a Praia Fluvial do Azibo faz parte da Albufeira com o mesmo nome e que inclui outra praia também muito frequentada: a praia fluvial da Fraga da Pegada (distinguida recentemente como a Praia Fluvial do Ano numa votação dos portugueses promovida pela revista Guia das Praias Fluviais). A qualidade da água e das infraestruturas de apoio são muito elogiadas, tendo sido galardoada com a Bandeira Azul e a distinção de “Qualidade de Ouro” pela Quercus.

Praia Fluvial do Ermal (Vieira do Minho): É o palco do “Festival da Ilha do Ermal” mas não é só por isso que esta praia se destaca. Inserida na Barragem do Ermal, esta praia caracteriza-se pela sua beleza e pela prática de sky aquático ou de cabosky que atrai forasteiros de todo o lado. Dispõe de restaurante, snack-bar e de uma estrutura básica de apoio para os banhistas.

Praia Fluvial do Rabaçal

Praia Fluvial do Rabaçal (Valpaços): É uma praia com todas as infraestruturas de apoio aos banhistas com balneários, bar e restaurante com esplanada, parque de estacionamento, parque de merendas e a poucos metros do Parque de Campismo do Rabaçal. A praia destaca-se pelo facto de estar também próxima da Ponte de Valtelhas, um monumento também conhecido como “Ponte do Diabo” devido à sua altura.

Praia Fluvial da Cascata da Cabreia (Sever do Vouga): Com 25 metros de altura, esta cascata é caracterizada por ter várias irregularidades e estar envolta em vegetação. As águas do Rio Mau proporcionam tranquilidade aos visitantes desta praia incluída no Parque da Cabreia. Com bons acessos, o parque permite observar a paisagem, assim como a biodiversidade.

Praia Fluvial de Adaúfe (Braga): Junto ao rio Cávado, a praia de Adaúfe tem cerca de 200 metros de extensão com zona de areia e área relvada. Juntando a memória e a modernidade, a praia preserva um moinho e um engenho de elevação de água mas apresenta condições para a prática de voleibol, canoagem e aluguer de gaivotas, assim como dispõe de prancha de saltos, parque de fitness e vigilância durante a época balnear.

Cristiana Macedo e Rita Inácio. Este artigo foi publicado na edição 322 da Ambitur.