Volta Nacional:”Luz verde para torre de 23 pisos frente à Gare do Oriente”

Volta Nacional:”Luz verde para torre de 23 pisos frente à Gare do Oriente”

Correio da Manhã

“Luz verde para torre de 23 pisos frente à Gare do Oriente”
A Câmara de Lisboa tem em discussão pública, até 16 de outubro, a construção de um empreendimento imobiliário a erguer a poente da Gare do Oriente, na zona onde atualmente se encontram uma loja da cadeia Aki e terrenos abandonados. De acordo com a documentação em discussão, serão ali erguidos três prédios com 21, 18 e 13 pisos, aos quais acrescem dois pisos de embasamento, e mais dois de 3 e 11 pisos. O edifício mais alto terá 92 metros de altura e foi projetado por Manuel Salgado para a Turifene, uma imobiliária que pertencia à Sociedade Lusa de Negócios, proprietária do BPN. O objetivo é “criar uma imagem urbana adequada”, e ainda “privilegiar a instalação de novos usos”, preferencialmente de serviços e hotelaria, “restringindo-se fortemente o uso habitacional”.

“Obras para requalificar piscina do Campo Grande arrancam amanhã”
Quatro anos depois do que tinha sido inicialmente previsto, as obras que a Câmara de Lisboa classifica como de “requalificação” da piscina do Campo Grande, em Lisboa, começam esta semana. A primeira pedra será lançada nesta quarta-feira, dando início ao projeto que representa um investimento de 8,5 milhões de euros, a cargo da espanhola Ingesport. Da antiga piscina projetada no início dos anos de 1960 por Francisco Keil do Amaral – uma das grandes figuras da arquitetura portuguesa – pouco fica para a prosperidade.

“Sintra cria gabinete para Património Mundial”
A Câmara de Sintra e a sociedade Parques de Sintra-Monte da Lusa vão assinar hoje um protocolo para a criação de um gabinete para “acompanhamento e monitorização” da área classificada como Património Mundial pela UNESCO. O novo Gabinete do Património Mundial-Paisagem Cultural de Sintra terá como missão “promover a aproximação entre os interessados” na zona classificada, “através do debate de ideias sobre a gestão e a reabilitação do património”.
“Greves agravaram em 60 milhões prejuízos da TAP”
Os prejuízos da TAP atingiram no primeiro semestre deste ano 142,9 milhões de euros, um agravamento de quase 60 milhões de euros face aos primeiros seis meses de 2014. Os resultados operacionais da empresa mantêm-se no vermelho mas desta vez não é só a atividade de manutenção feita no Brasil que arrasta a transportadora para terreno negativo. As greves – as “anunciaas e efetivas” – e as “inerentes perturbações na prestação de serviços ao nível do transporte aéreo”, contribuíram ativamente para este agravamento.

Económico

“Quebra do petróleo e turismo seguram saldo comercial”
O bom desempenho do sector dos serviços, sobretudo do turismo, tem compensado o défice da balança de bens nos últimos trimestres.

“Greves na TAP obrigam Parpública a fazer provisões de 114 milhões
A Parpública foi obrigada a constituir uma provisão de 113,8 milhões de euros durante o primeiro semestre deste ano para fazer face ao impacto negativo que as greves dos pilotos da TAP tiveram nas contas da companhia aérea. A empresa ainda encerrou a primeira metade de 2015 no perímetro das participadas da holding estatal, enquanto não é dada luz verde á privatização de 61% do capital da empresa, ganha pelo consórcio Gateway.
Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.