A Paraty Tech ajuda-o a enfrentar o coronavírus

A Paraty Tech ajuda-o a enfrentar o coronavírus

Categoria Advisor, Opinião

por Diana Costa, Country Manager Portugal, Paraty Tech

Apenas três meses após surgirem as primeiras notícias, o coronavírus ultrapassa já as 120 000 pessoas infetadas (mais de 80 000 localizados na China, foco da pandemia) e as 4 600 mortes em todo o mundo.

Em Portugal, a 12 de março de 2020, os casos confirmados são já 78, felizmente sem registo de mortes.

Um panorama sombrio mundial que requer todas as medidas preventivas possíveis, de acordo com as recomendações das autoridades de saúde e tendo por base a fase pandémica em que cada país se encontra – Portugal ainda em fase de contenção.

Sem pretender emitir nenhum juízo de valor, até agora limitamo-nos a expor factos. Banalizá-los, ou até mesmo relativizá-los, são atos muito irresponsáveis. São muitos os que sofrem, direta ou indiretamente, e nisto deve haver consenso.

No entanto, da mesma forma que desprezar os factos é um ato repreensível, é muito desaconselhável sobrevalorizar e alterar os mesmos.

Devido, em grande parte, à realidade dos media a que estamos expostos todos os dias, inevitavelmente, as vias de contágio do pânico generalizado multiplicam-se dia a dia, a uma velocidade mais feroz do que a propagação do próprio Covid-19.

Os sintomas deste alarmismo são tão graves como os sofridos pelos próprios pacientes. O impacto económico é de tal forma negativo que necessitaremos de muitos meses para medir o seu efeito real a médio e longo prazo. A falta de informação é mais preocupante que o conhecimento – sempre.

Cabe a todos os estabelecimentos tentar diminuir ao máximo os efeitos da crise coronavírus. Partilhamos algumas recomendações gerais que, na nossa perspetiva, irão ajudá-lo a desacelerar o decréscimo das vendas que está a enfrentar.

Embora cada cidade, cada estabelecimento, cada público-alvo seja diferente, as recomendações seguintes são de caracter geral:

• Apostar por quem demonstra interesse: a quebra nas pesquisas é uma representação da quebra na procura. Por este motivo parece razoável alocar os recursos de marketing para garantir a reserva daqueles que já demonstraram interesse.
Os metabuscadores e o retargeting são uma boa opção neste momento.
Com uma procura tão baixa, em vez de investir na captação, recomendamos que se concentre em todos os viajantes que tenham demonstrado interesse em reservar o seu estabelecimento.

• Ajustar os preços, mas com moderação: o motivo da fraca procura não é uma questão de preço. Agora mais do que nunca, é o momento de vigiar muito de perto a sua concorrência e ajustar os seus preços em função das tendências gerais. Faça-o com moderação, pois baixar demasiado os preços pode ser um perigoso “pau de dois bicos”, pois irá dificultar o seu regresso pós crise.

• Facilitar os cancelamentos: mostre aos seus clientes o quão são importantes para si. Agora é o momento em que necessita ser leal, compreender o medo de viajar e fidelizar os clientes.
Oferecer uma maior flexibilidade nas políticas de cancelamento transmitirá mais segurança aos viajantes mais reticentes. Poderá também oferecer a possibilidade de adiar a viagem – o que perde hoje, recupera amanhã, e os clientes agradecem.

• Tentar captar novos públicos: Poderá esforçar-se por identificar novos nichos de mercado, países que não foram tão afetados pelo vírus e em que o alarmismo não é tão grande.

• Transmitir segurança e compromisso: Temos a certeza de que está a fazer todos os possíveis para reter o contágio. Deverá transmitir aos seus clientes que estão a agir de acordo com os protocolos de segurança e que terão condições para lidar com uma eventual infeção. A segurança dos clientes vem em primeiro lugar e eles precisam de sentir esta confiança.
Pode utilizar os recursos habituais: sliders, banners, newsletter, redes sociais, etc. Sobretudo, comunicação e transparência.

• Apostar no mercado nacional: a queda da procura não é tão significativa a nível interno. Se a situação não se reverter nos próximos dias, a mobilidade interna é muito mais provável do que além-fronteiras. Para isso, poderá focar as suas campanhas SEM nas cidades regiões mais próximas.

• Prepare-se para a recuperação: Como todos os males, a crise do Covid-19 irá passar e devemos assegurar-nos de que estamos preparados para a recuperação. Esteja pronto para aquela que será a sua melhor oportunidade de reverter a situação de crise atual.

Nestas alturas, a estratégia de revenue management que adotar pode marcar a diferença entre superar um contra-tempo ou deixar-se arrastar pela crise.