Portugal ultrapassa 24 milhões de hóspedes em 2017

Portugal ultrapassa 24 milhões de hóspedes em 2017

A atividade turística voltou a surpreender em 2017. Os dados finais do INE, divulgados esta manhã, mostram que, pela primeira vez, Portugal recebeu 24,1 milhões de hóspedes, uma subida de 12,9% face a 2016. As dormidas também subiram 10,8%, para um total de 65,8 milhões.

No alojamento local, registaram-se crescimentos expressivos de 28,8% nos hóspedes (3,4 milhões) e de 26,7% nas dormidas (8 milhões).

As dormidas no interior cresceram 17,6% (face a 9,6% no litoral).

As regiões que mais cresceram em dormidas foram o Centro (+19,9%), o Alentejo (+16,5%) e os Açores (+15,1%).

Por outro lado, os meses que registam maiores crescimentos de dormidas foram Abril (+28,6%), Janeiro (+15,3%), Dezembro (+13,6%) e Novembro (+11,9%), meses fora da época alta, o que evidencia o alargamento do turismo ao longo de todo o ano.

Ao mesmo tempo, os proveitos totais subiram, em 2017, 18,1%. E, tal como o Banco de Portugal já tinha divulgado, as receitas turísticas registaram a maior subida das últimas duas décadas, crescendo 19,5% para 15,2 mil milhões de euros. O que significa que as receitas crescem, aproximadamente, o dobro do número de visitantes – tendência que se tem acentuado já em 2018.

No ano passado houve também uma grande diversificação de mercados no nosso país. Em termos de hóspedes, destaca-se o crescimento do mercado russo, +46,8%, seguido do mercado da Polónia (+43,5%), China (+43,3%), Brasil (+42,3%) e EUA (+40,1%).

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, sublinha que estes números “traduzem o trabalho de todos os que se dedicam ao turismo e confirmam que estamos a conseguir atingir os objetivos da Estratégia Turismo 2027: crescer em valor e alargar o turismo ao longo do ano e do território, promovendo sustentabilidade da atividade turística, criação de emprego e desenvolvimento regional. Particularmente importante é o crescimento das regiões tradicionalmente menos turísticas, o alargamento da atividade turística ao longo do ano e a diversificação de mercados”.