Aniversário Ambitur: “O posicionamento da marca Lisboa nunca foi afetado”

Aniversário Ambitur: “O posicionamento da marca Lisboa nunca foi afetado”

O 31º aniversário da Ambitur serviu de mote para sabermos qual a visão dos Conselheiros Ambitur sobre o futuro do turismo nacional, neste momento que muitos consideram ser de viragem da confiança do consumidor. Para se ter uma perspetiva ainda mais abrangente do que se pode passar nos próximos temos no negócio turístico nacional, acrescentámos ainda a posição institucional da secretaria de Estado do Turismo e do Turismo de Portugal, assim como a análise da nova equipa de gestão da TAP. Fica aqui o testemunho de José Luís Arnaut, presidente-adjunto da Associação Turismo de Lisboa (ATL).

A crise pandémica foi devastadora para o turismo e a recuperação sustentada do setor só será sinalizada quando, efetivamente, se verificar que voltaram a ser criadas as condições necessárias para a retoma e quando for reconquistada a confiança para viajar. E para isso acontecer não basta reduzir as medidas de combate à pandemia. É necessário acautelar a preservação do tecido empresarial, dinamizar a procura de mercados externos e garantir a sustentabilidade aérea com qualidade.

O tecido económico do setor foi muito penalizado durante a pandemia e um dos grandes desafios que enfrentamos é a garantia da força de trabalho qualificada e dos serviços essenciais para assegurar a boa experiência de quem visita Lisboa, na sua maioria num registo de short break, ou seja, de estadia durante dois a três dias.

Também a conectividade aérea a um nível aceitável urge como fundamental, sobretudo em mercados externos como o Reino Unido, Estados Unidos e Brasil, relembrando que é necessário encontrar e iniciar a implementação de uma solução adequada para a questão aeroportuária, já que 90% dos visitantes de Lisboa acedem ao destino por via aérea.

É claro que a base deste grande desafio passa pela estabilidade da segurança sanitária, pois só será possível retomar os valores que tínhamos antes da pandemia se for travado o impacto nocivo da transmissão e contágio do vírus. O posicionamento da marca Lisboa nunca foi afetado e o desejo de viajar mantém-se, pelo que o importante é mesmo preservar o tecido económico e os requisitos estruturais do Turismo, criando as condições necessárias para que o setor retome o seu papel determinante para a recuperação e o desenvolvimento do País.

José Luís Arnaut, presidente-adjunto da Associação Turismo de Lisboa (ATL) (este artigo foi publicado na edição 336 da Ambitur).