Cresce procura por alojamento local: mais 6% que em 2017

Cresce procura por alojamento local: mais 6% que em 2017

O alojamento local vai ser escolha para 9% dos portugueses neste verão, um aumento de 6% em comparação com o ano passado. Ainda assim, 39% dos portugueses preferem ficar em casa ou deslocar-se para casa de amigos ou familiares, para diminuir os custos nas férias. A preferência por hostels regista uma queda de 3%.

O estudo do Observador Cetelem Férias 2018 procurou perceber quais as preferências dos portugueses na hora de escolher alojamento para os dias de descanso. No primeiro lugar do pódio, a casa de amigos ou familiares é a opção mais procurada. Esta escolha foi referenciada por 39% dos inquiridos, um ligeiro aumento face a 2017, quando foi referida por 35% da população.

A escolha de passar férias em hostels diminui três pontos percentuais face ao ano transato, enquanto o alojamento local acolhe a preferência de 6% dos inquiridos, o triplo do ano anterior, constatando-se, assim, uma inversão na tendência da procura dos hostels face ao alojamento local durante este período de férias.

Com um declive ainda maior, de 13%, encontram-se as preferências dos portugueses relativamente aos hotéis durante as suas férias em território nacional. A estadia em hotel passou dos 32% registados em 2017 para 20% em 2018, um sinal claro de retração desta preferência. No entanto, entre os que preferem viajar para fora do país, 85% referem optar por ficar alojados em hotel.

Férias, com quem?
Se o local escolhido é relevante, mais importante ainda é com quem escolhem passar as férias e os dados do último Observador Cetelem confirmam que este é um período importante para reforçar laços familiares: 88% dos inquiridos tencionam fazer férias com os seus familiares mais próximos ou com a família alargada e apenas uma pequena percentagem dos inquiridos (8%) preferem disfrutar dos dias de descanso com amigos ou passar férias sozinho (4%).

Quanto à duração dos dias de descanso, mantém-se a tradição de concentrar o maior período durante o verão, com os restantes dias a serem divididos em blocos de miniférias – ou shortbreaks. Estas coincidem frequentemente com feriados e pontes, de forma a estender o período de descanso.

Para aceder ao estudo completo, veja aqui.