Perturbações em voos de Portugal afetaram cerca de 240.000 passageiros

Perturbações em voos de Portugal afetaram cerca de 240.000 passageiros

Categoria Business, Transportes

A AirHelp acaba de analisar os primeiros seis meses de 2018, concluindo que as perturbações em voos triplicaram em vários países, comparativamente ao mesmo período de 2017. Segundo esta análise da AirHelp, entre 1 de janeiro e 30 de junho deste ano, cerca de 240.000 passageiros foram afetados por perturbações em voos de Portugal e são elegíveis a receber compensações, de acordo com o regulamento EC261.

Os pedidos de compensações poderão representar para estes passageiros afetados um valor global de cerca de 84 milhões de euros. Portugal é um dos vários países que registou um aumento considerável em termos de valores de compensações, comparativamente ao mesmo período de 2017.

Ao nível global, a AirHelp estima que cerca de 4,5 milhões de passageiros tenham sido afetados já em 2018 (mais 40% face ao mesmo período de 2017), correspondendo a um montante de compensações superior a 1,9 mil milhões de euros – mais 26% do que no primeiro semestre de 2017.

O aumento significativo de montantes de compensação deve-se a vários fatores, entre os quais a decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) no início deste ano, que declarou que as greves de pessoal das companhias aéreas não podem ser consideradas circunstâncias extraordinárias, responsabilizando as companhias pelas mesmas e obrigando-as a compensar os passageiros. Existiram ainda decisões favoráveis à proteção dos direitos dos passageiros em relação a ligações de voos perdidas.

A AirHelp identificou também muitos outros fatores responsáveis pelas perturbações em voos durante os primeiros seis meses de 2018. No início de junho, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) apresentou uma redução de 12% na sua previsão de lucro para 2018, culpando os custos crescentes do combustível e da mão-de-obra.
A indústria enfrenta ainda uma escassez de novos pilotos, o que faz com que muitos aviões fiquem em terra e provoca a insatisfação dos sindicatos relativamente à sobrecarga do staff. Além destes fatores, o fenómeno do overtourism tem desafiado as capacidades dos aeroportos.

Falta de pessoal

A Boeing estima que, nos próximos 20 anos, sejam necessários mais 637.000 pilotos. As companhias aéreas afirmam que estão a enfrentar um maior stress financeiro e a arriscar os lucros, também devido aos pagamentos mais elevados aos pilotos e ao aumento dos preços dos combustíveis.

Por outro lado, sindicatos de todo o mundo continuam a pressionar por melhores condições. Os pilotos da Ryanair estão a formar sindicatos em toda a Europa, procurando melhores condições de trabalho, e os pilotos da Air France realizaram greves devido a salários.

Overtourism

Existe outra razão que pode tornar as férias num pesadelo – a procura historicamente elevada de viagens. Os dez principais destinos do mundo (que hoje recebem 46% das chegadas internacionais) terão de acomodar mais 70 milhões de turistas, num espaço de apenas três anos. Nesse sentido, a capacidade insuficiente dos aeroportos pode levar a um aumento significativo nas perturbações em voos neste verão.

Problemas no voo: estes são os direitos dos passageiros

No caso de atrasos, cancelamentos de voos ou impedimento de embarque, os passageiros podem ter direito a uma compensação até 600 € por pessoa, em determinadas circunstâncias. As condições para que tal aconteça determinam que o aeroporto de partida se encontre dentro da UE ou que a companhia aérea tenha sede na UE. Além disso, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O direito à compensação financeira deve ser reclamado no prazo de três anos a contar da data da perturbação.

Por outro lado, circunstâncias extraordinárias como tempestades ou emergências médicas isentam as companhias da obrigação de compensar os passageiros.

App da AirHelp deteta voos elegíveis nos últimos três anos

No início deste ano, a AirHelp lançou uma ferramenta para ajudar os viajantes a saberem se os seus voos são elegíveis para uma compensação. O aplicativo concentra-se especificamente em voos qualificados para compensação e, com permissão do utilizador, pode verificar voos realizados até três anos antes. Para isso, basta conectar a caixa de entrada de e-mail de um viajante com o site airhelp.pt. Com a app da AirHelp, os passageiros afetados podem verificar a elegibilidade do voo em qualquer lugar. A app analisa automaticamente se um problema de voo está qualificado para compensação e regista um pedido de compensação em segundos.