Portugal no centro das competições de surf em Outubro

Categoria Agenda, Home, Inside

A eleição de Portugal como um dos melhores spots para a realização de competições de surf já não é novidade. A qualidade das ondas portuguesas fazem com que, a partir do próximo dia 1 de Outubro, os mares de Cascais, Peniche e Ericeira contem com as manobras dos melhores surfistas do mundo. Com o intuito de atrair mais surfistas, este ano, o evento PRIME (com um prize money de 250 mil dólares) irá realizar-se entre Campeonato do Mundo de França e do Campeonato do Mundo de Portugal, ou seja na semana de 7 a11 de Outubro. De acordo com o município de Cascais, esta foi uma aposta ganha, pois conseguiu a inscrição de 28 dos 34 surfistas pertencentes à elite do Surf Mundial (WCT). Entre eles estão nomes como Mick Fanning (três vezes campeão do mundo), Taj Burrow, Adriano de Sousa, Jordi Smith, Julian Wilson, JJ Florence entre muitos outros. No dia 12 de Outubro, os melhores do mundo partem para a acção, disputando a prova MOCHE RIP CURL PRO PORTUGAL (com um prize money de 500 mil dólares), em Peniche e , de 24 de Outubro a 3 de Novembro, a Ericeira será o palco da prova decisiva da Allianz Ericeira World Juniores.&“Quero começar por agradecer aos surfistas portugueses o esforço e o empenho em levarem o nome de Portugal além-fronteiras. É também para isso que a Ocean Events (promotor dos eventos ASP em Portugal) trabalha o ano inteiro. Tem sido uma aposta gratificante e apenas ganha pela ajuda incansável de todas as entidades e marcas que se envolvem e que realmente acreditam que temos condições para fazer muito mais e melhor&, afirmou Francisco Spínola, da Ocean Events, empresa responsável pela organização dos eventos da Association of Surfing Professionals (ASP) em Portugal. Segundo o responsável, a realização destas provas tem, hoje em dia, um investimento directo de cerca de 3,2M €. &O retorno que temos obtido, e falo numa perspectiva socioeconómico geral, é compensador. A projecção que Portugal tem ganho, baseado numa das maiores riquezas que temos – o Mar, cresce ano após ano. Esta é, de facto, a nossa maior recompensa. Para as provas, só podemos desejar boas ondas e muita gente na praia, que tem sido a chave do sucesso deste projecto&, conclui.