Reservas de voos em queda após ataque bombista de Istambul

Reservas de voos em queda após ataque bombista de Istambul

As reservas de voos para Istambul diminuíram drasticamente após o ataque bombista na principal zona turística da cidade no passado dia 12 de janeiro, segundo revelam os dados da ForwardKeys, que monitoriza futuros padrões de viagem analisando 14 milhões de transações de reservas todos os dias. A análise revela uma queda de 32% nas reservas internacionais diárias quando comparado com igual período do ano anterior.

Segundo Olivier Jager, co-fundador e CEO da ForwardKeys, “tal como revelam os nossos dados, verificou-se uma reação imediata ao ataque com as pessoas a decidirem manter-se longe de Istambul. Embora o impacto tenha sido negativo e evidente, este incidente terrorista não afetou Istambul tão gravemente como os ataques de 13 de novembro afetaram Paris”. O mesmo responsável adianta que “as pessoas que visitam amigos e família, e o setor business (cujas viagens se caracterizam por estadias mais curtas, com menor antecipação e individuais em vez de reservas de grupo) parecem ter sido menos influenciados do que quem viaja como turista”.

A maioria das vítimas do ataque bombista era de origem alemã e os dados da ForwardKeys indicam que o mercado de origem mais afetado foi, de facto, a Alemanha, com as reservas a descerem 39% na semana a seguir ao incidente.

No que diz respeito aos tempos futuros, a empresa acredita que a situação em Istambul não seja animadora. “Os principais mercados emissores continuam a estar em baixa comparados com o ano anterior. A única exceção é a Ucrânia mas isso deve-se a quebra anterior da procura. Os nossos dados apontam para que, até à data, as tendências de reservas não estejam a dar sinais de recuperação significativa, adianta Olivier Jager.