Todos os hotéis da ilha mais turística de Cabo Verde vão suspender atividade

Todos os hotéis da ilha mais turística de Cabo Verde vão suspender atividade

Categoria Alojamento, Business

Todos os hotéis do Sal, a ilha mais turística de Cabo Verde, vão suspender as atividades por causa do coronavírus, disse à Lusa fonte sindical, que considerou boa as medidas para proteger os trabalhadores e as empresas.

Segundo Kelly Ferreira, do gabinete jurídico do Sindicato da Indústria, Comércio e Turismo (SICOTUR), vários hotéis já fecharam as portas, estando a aguardar decisão oficial do Grupo Meliá e do Hotel Riu, os dos maiores estabelecimentos hoteleiros da ilha. Mesmo com a suspensão temporária das atividades, esta advogada garantiu que os hotéis estão a garantir os postos de trabalho e a retribuição de 70% do salário, conforme medida saída da reunião de terça-feira do Conselho de Concertação Social.

A medida, anunciada pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, permite a suspensão do pagamento para a contribuição social e o 70% do salário vai ser assumido em 35% pelo Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) e 35% pela empresa empregadora. “O que acaba por beneficiar os trabalhadores, porque em vez de 50% vão passar a receber 70% do salário. É uma vantagem”, notou Kelly Ferreira, indicando que, pelo menos, cerca de 600 trabalhadores de outros hotéis já estão em casa. A esses somam os cujos seus contratos não foram renovados, prosseguiu a representante do sindicato, referindo que esses também vão ter um subsídio de desemprego, ainda conforme as medidas saídas do Conselho de Concertação Social extraordinária.

“Estamos a acompanhar. É uma situação diferente, que ninguém estava à espera e estas são as melhores medidas que as empresas tinham que tomar, porque não há voos nem clientes”, afirmou a advogada, que ainda espera para ver as consequências nas pessoas e na economia.

Kelly Ferreira disse à Lusa que todas as empresas hoteleiras estão a comunicar a suspensão por quatro meses, prevendo uma retoma da atividade turística na ilha do Sal entre julho e agosto. “Essa é a previsão de todos, mas esperamos que isso volta a normalidade o quanto antes, para ser retomada a atividade, para que todos voltem ao trabalho”, manifestou a advogada do SICOTUR, sindicato com maior incidência na ilha do Sal.

O Governo cabo-verdiano informou hoje que cerca de 7.000 turistas estrangeiros, clientes do operador turístico TUI e que se encontravam nas ilhas do Sal e da Boa Vista, “já estão de volta aos seus países de residência”, tendo a operação de repatriamento terminado na terça-feira.

O Sal, com quase 40 mil habitantes, é a ilha mais turística do arquipélago cabo-verdiano, tendo em 2019 registado 45,5% do total das entradas dos cerca de 820 mil turistas. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) cabo-verdiano, a ilha tinha 31 estabelecimentos hoteleiros em 2017, representando 11,3% do total nacional.

Cabo Verde registou até agora quatro casos de covid-19, um dos quais confirmado hoje, um cidadão cabo-verdiano que regressou de França num voo através de Lisboa. O caso confirmado hoje vem juntar-se aos três registados na ilha da Boa Vista, todos turistas estrangeiros, um dos quais, um cidadão inglês de 62 anos, acabou por morrer na segunda-feira.