Volta Nacional: “Estudo ambiental viabiliza Montijo”

Volta Nacional: “Estudo ambiental viabiliza Montijo”

Jornal de Negócios
“Estudo ambiental viabiliza Montijo”
A construção do futuro aeroporto do Montijo tem luz verde em termos de impacte ambiental. O estudo elaborado ela Profico Ambiente e que a ANA – Aeroportos de Portugal entregará esta semana ao Governo viabiliza o projeto e será agora avaliado pela Agência Portuguesa do Ambiente. “Ficámos muitocontentes porque o estudo de impacte ambiental não levanta qualquer impedimento e viabiliza a construção do nosso projeto”, afirmou Thierry Ligonière, administrador da ANA, ao “Negócios”.

“Mais aviões a cruzar o céu de Lisboa”
O futuro aeroporto do Montijo vai permitir à ANA – Aeroportos de Portugal aumentar o tráfego aéreo em Lisboa. Segundo os cálculos efectuados pela concessionária, a infra-estrutura complementar permitirá a realização de 24 movimentos (aterragens e e descolagens) por hora, o que permitirá captar mais voos para a capital.

“Turismo é um dos motores económicos do Porto”
“Portugal e a região Norte vivem momentos auspiciosos em termos de turismo, tanto pelo número de visitantes, com crescimentos nunca vistos nas últimas décadas. E tem sido um dos motores para o dinamismo para economia nacional e regional”, assinalou Rui Pedro Gonçalves, diretor executivo da Associação de Turismo do Porto.

“Os desafios de um turismo sustentável”
O turismo tem contribuído nos últimos para o crescimento económico do país, e tem apoiado do desenvolvimento do alojamento local, do imobiliário, na região do Porto em Portugal, analisou Patrícia Teixeira Lopes, vice-dean da Porto Business School. Interrogou-se sobre se o crescimento do turismo é sustentável. Na sua opinião, a sustentabilidade passa pela qualificação do emprego, pela criação de atividades de valor acrescentando e pelo aumento da qualidade de serviço para ter preços mais elevados e sustentáveis.

“Pressão turística é uma moda”
“Está-se a criar uma moda em relação à pressão turística que não corresponde à realidade na região do Porto”, disse Rui Pedro Gonçalves, diretor executivo da Associação de Turismo do Porto. Salientou que “há um conjunto de números que estão a ser lançados para a opinião pública que não tem nenhum racional estatístico e que pode criar uma má impressão da cidade e da região que não corresponde à verdade”.

“Escola de negócios das empresas e das universidade”
“Somos uma escola de negócios há 30 anos, virada para os negócios. A nossa missão é contribuir para o desenvolvimento da gestão das empresas, adaptando-nos também ao que são as necessidades dos vários setores ao longo do tempo, suportando o apoio de novas competências como as pessoas, criatividade e inovação, e às capacidades de diferenciação”, diz Patrícia Teixeira Lopes, vice-dean da Porto Business School.

“Gestora de hotéis boutique”
“Unlock Boutique Hotels é uma aproximação inovadora a este fenómeno do turismo”, refere Miguel Velez, CEO, fundador juntamente com Martinho Fortunato e Adrian Bridge, ligado ao grupo Fladgate Patnership, em meados de 2016. Nasceu de uma necessidade de mercado e que é a existência de muitos hotéis boutique, de pequena dimensão e que muitas não são competitivos.

“Lisboa vai gerar 105 milhões à Groundforce”
A Groundforce, empresa de “handling” detida pelos grupos TAP e Urbanos, prevê para este ano um crescimento das vendas de 12,9%, acima dos 9,1% conseguidos em 2017, para um total de 137 milhões de euros. Só o aeroporto de Lisboa, que no ano passado gerou receitas de 98,2 milhões, deverá contribuir com mais sete milhões de euros para o grupo este ano, ou seja, com 105,3 milhões.

Correio da Manhã
“TAP e SATA. Pontualidade”
A SATA e a TAP estão entre as companhias com mais atrasos, ocupando o 151.º e o 148.º lugar no ranking de pontualidade da empresa de estatística OAG, num total de 153 transportadoras. A companhia aérea T’way Air, da Coreia do Sul, tem o pior desempenho.

Jornal i
“Eurovisão. Impacto económico poderá chegar aos 100 milhões”
O impacto económico do Festival da Eurovisão poderá atingir os 100 milhões de euros. As contas são do diretor-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, José Esteves. Só as receitas de hotéis e restaurantes deverão atingir dezenas de milhões de euros só esta semana, mas o responsável lembra ao “i” que a este montante é necessário “juntar a cadeia de valor que o turismo arrasta consigo e que está ligada a empresas de construção civil, de cenários, a empresas de rent-a-car, de animação noturna, entre outras”.

Jornal de Notícias
“Táxis terão apoio maior para a aquisição de carro elétrico”
Os táxis terão um apoio público maior do que os atuais 2250 euros para a aquisição de carros elétricos e, ao contrário da generalidade das empresas, poderão ser adquiridos mais de cinco automóveis por cada operar. O secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, garante que o Governo estará em condições de desenhar um programa específico de apoio à eletrificação da frota de táxi, que poderá apoiar a compra de “centena de veículos”.

Público
“Há um novo elétrico que vai do centro a Belém mas é só para turistas”
Há uma nova carreira de elétricos a ligar o centro da cidade a Belém, mas esta é para inglês ver. Para inglês, brasileiro, russo, português. Trata-se da Belém Tramcar Tour, uma linha turística lançada há poucos dias pela Carristur, a empresa da Carris virada para o turismo.

“Comboio entre Lisboa e Porto vai demorar mais dez minutos”
A partir de Julho os comboios vão andar mais devagar na linha do Norte, sobretudo no troço entre Ovar e Gaia, penalizando a viagem entre Lisboa e Porto entre sete a dez minutos. Depois do Verão o tempo de percurso entre as duas capitais vai ser ainda maior devido às obras na linha, a cargo da Infraestruturas de Portugal.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.