WTM 2018: Dtravel procura “vender Portugal com naturalidade”

WTM 2018: Dtravel procura “vender Portugal com naturalidade”

Categoria Business, Ot's Av's

O elétrico da Dtravel volta a estacionar, pela segunda vez, na World Trade Market (WTM) em Londres. Elisabete João, diretora da DMC portuguesa, conta à Ambitur que este é a sua imagem de marca. Uma forma de “vender Portugal com naturalidade” pois os visitantes quando vêem o elétrico identificam logo o destino e pedem para tirar fotografias. Além disso, funciona como espaço de reuniões da Dtravel nestes eventos.

A diretora da Dtravel explica que o objetivo da empresa é “promover da melhor maneira o que temos de melhor em Portugal para oferecer aos nossos turistas”. Assim, a presença nas feiras é importante para chegar a clientes que seria impossível de outra forma e fidelizá-los: “Conseguir chegar ao cliente, enviar apresentação e depois, quando fazemos porta-a-porta, já é uma segunda visita, já é uma fidelização.”

Embora os principais mercados da Dtravel serem França, Bélgica, Luxemburgo, Suíça e Itália, Elisabete João garante que todos os mercados são importantes e “esta feira não é só o mercado inglês, isto é o mercado internacional. Quem vier a uma Fitur ou à WTM consegue chegar ao mundo inteiro”, afirma.

A Dtravel foi criada há quatro anos e encontra-se sediada em Pombal, na região Centro do país, procurando distinguir-se pelo acompanhamento “à medida” do cliente. A responsável reflete que a empresa surgiu “na altura do boom do Turismo” e que este ano foi o seu pico.

“Como DMC já estou a sentir que o turismo está a baixar”, face ao retorno de mercados como a Croácia, Turquia e Tunísia. No entanto, Elisabete João felicita os esforços feitos pelo Governo: “Neste momento nós sentimos que o turismo está acompanhado, os políticos estão a olhar para isto como uma oportunidade do país vingar.”

Rita Inácio, em Londres, com o apoio da easyJet.