Abreu: Vendas para o verão crescem acima das expectativas para este ano

Abreu: Vendas para o verão crescem acima das expectativas para este ano

Depois de mais uma edição bem sucedida do Mundo Abreu, a Ambitur.pt entrevistou José Manuel Ferraz, diretor da Agência Abreu, para saber como correm as vendas para o verão. O balanço é positivo, com as “vendas a crescerem ligeiramente acima das nossas expectativas para este ano”.

Segundo José Manuel Ferraz, as três principais razões para o crescimento das vendas são: “A grande dinâmica comercial envolvendo, globalmente e a cada dia que passa, a rede de lojas Abreu no continente, Açores e Madeira; a consolidação da tendência da reserva antecipada que, a exemplo de outros países, parece ter vindo para ficar; e o próprio desempenho desta edição do Mundo Abreu, onde o volume de reservas acabou por superar as nossas melhores previsões.”

A procura por Portugal e pela personalização da viagem 

Os destinos e tipologias mais vendidos têm sido Cabo Verde, Caraíbas, as Grandes Viagens e os Circuitos Europeus. O mercado nacional “também tem crescido”, nomeadamente o Algarve, Madeira com Porto Santo, Açores e a região Norte de Portugal. O diretor da Agência Abreu vai mais longe e garante que “todas as regiões e latitudes do produto turístico português estão a registar uma procura crescente por parte dos nossos clientes”, fruto da presença internacional do grupo seja em lojas por vários países ou nas relações comerciais estabelecidas via Abreu online.

Em relação aos clientes, a sua maior preocupação é com a segurança dos destinos que visitam e na “obtenção das melhores soluções de viagem de acordo com o perfil de cada um, na melhor conjugação dos seus desejos, expectativas e disponibilidade orçamental”. O Grupo Abreu recebe “uma infinidade de pedidos” na qual a personalização é, cada vez mais, a tendência à qual “nós sabemos bem como corresponder e, sempre que possível, até surpreender”, assegura José Manuel Ferraz.

O grande desafio que se coloca, na sua opinião, são os constrangimentos do aeroporto de Lisboa apesar de que a “oferta da capacidade aérea está ajustada à evolução das vendas que se tem verificado”. No entanto, “só o tempo e o final da temporada irão confirmar esta nossa perceção”.

Rita Inácio