Air Malta vai voar três vezes por semana para Lisboa no próximo verão

Air Malta vai voar três vezes por semana para Lisboa no próximo verão

Categoria Business, Transportes

A operar duas vezes por semana para Lisboa, a Air Malta tem em “pipeline” para o próximo verão aumentar para “três” o número de voos semanais para a capital portuguesa. A revelação é feita pelo chief commercial officer Paul Sies em exclusivo à Ambitur. Desde 2018, quando foi introduzida a rota, os resultados são “surpreendentes”, sendo Lisboa um dos destinos com “melhor desempenho”, afirma o responsável, reforçando que esta se tornou uma das rotas “mais bem-sucedidas” da companhia. “O mercado quer realmente mais voos entre Malta e Lisboa”, diz o responsável, revelando que a “forte procura” vai tornar possível “continuar a operação mesmo durante o inverno”, mas também “aumentar no próximo ano” e a “longo-prazo”. Paul Sies realça o “acompanhamento constante” da equipa comercial em “procurar novas oportunidades” no mercado português para se conseguirem “introduzir novas frequências”, traduzindo-se assim no “aumento de lugares”.

Fazendo um balanço dos últimos 12 meses, o responsável indica que a Air Malta registou um crescimento de “300 mil passageiros”, estando previsto fechar o ano corrente com um “aumento semelhante”, devendo atingir os “2,3 milhões de passageiros” por ano. Face aos resultados alcançados, o objetivo da Air Malta passa por “replicar o mesmo sucesso”, afirma o responsável, sublinhando o “trabalho árduo” em “melhorar o desempenho operacional e comercial”, introduzindo “novas rotas e frequências” nos principais aeroportos, permitindo à companhia “entrar em novos mercados” e, posteriormente, “aumentar o número de passageiros”.

Para além do contínuo melhoramento do “desempenho operacional”, a Air Malta tem como estratégia “aumentar o número de acordos de code-sharing com as principais companhias internacionais”, oferecendo “mais e melhores opções de conectividade” explica o responsável, adiantando que já têm em “marcha” estudos sobre viabilidade para “novas rotas” com o objetivo de “estabelecer o potencial desses mercados-alvo”. Nesta linha, Paul Sies destaca a “introdução de serviços auxiliares” e “produtos inovadores”, de modo a “oferecer uma experiência mais aprimorada aos clientes”, dando, como exemplo, o serviço a bordo da classe económica que sofreu uma “alteração” onde foi “introduzido o serviço de compra a bordo para todos os passageiros dessa classe”, seguido pela “mudança radical” na classe de negócios. A Air Malta define-se pela “qualidade nos detalhes” e na “relação custo/benefício” refletido em “todos os canais da companhia”, sublinha.

Relativamente à frota, o diretor comercial refere o seu notável “aumento e “modernização” com “10 aeronaves”, das quais três são A320neo da Airbus. Nos próximos cinco anos, a Air Malta pretende “substituir toda a frotas pelos modelos A320neo”, refere. Para além disso, Paul Sies destaca a importância da “eficiência” e “conforto” em todos os aviões, acompanhado por uma “melhor economia e desempenho” nas operações. Um dos objetivos mais evidentes da Air Malta para um “futuro próximo” é chegar a 2024 com “uma das frotas mais jovens da Europa”, declara o responsável.

Cristiana Macedo, publicado na edição 326 da Ambitur.