Eventos: “Portugal tem uma janela de oportunidade temporal única”

Eventos: “Portugal tem uma janela de oportunidade temporal única”

Categoria Business, Empresas

100% portuguesa, a VOQIN opera em todo o mundo. Com escritórios no Brasil, Flórida e Espanha, a agência especializada na criação de eventos e experiências está a ultrapassar a crise Covid-19 como todas as outras. No entanto, há um propósito que nunca é descurado: “Provocar emoções e reações significativas”.

Nos últimos tempos, o Brasil tem sido notícia pelas piores razões e, no que se refere ao surto, o país parece não estar a conseguir fazer a melhor gestão no seu combate. No entanto, Diogo Assis, CEO da VOQIN, afirma que o país sul-americano “tem sido uma surpresa positiva” no que refere à “gestão de cancelamentos e adiamentos dos eventos”. Embora haja uma “clara demonstração” no segmento digital, a visão futura do mercado é de que a digitalização “não substitui o físico. O mercado tem estado a virar-se para o digital mas a remarcar automaticamente um follow-up do digital”, ou seja, “há um digital que continua a ser um teaser para o evento físico, em viagem ou num espaço de evento”, explica o responsável. 

Quanto ao país de origem da VOQIN, o responsável não tem dúvidas de  há uma vantagem competitiva, no sentido de reconquistar a confiança do mercado: “Portugal tem vindo a ser falado como um case-study na forma como tem gerido” a pandemia, acreditando que essa forma de gestão “vai ser importante” para conseguir a confiança.

Aos empresários hoteleiros, de restauração ou de espaços de eventos, o CEO da VOQIN deixa um repto, no sentido de transmitirem uma “mensagem robusta e estruturada” na forma de como vão gerir o distanciamento ou os espaços com tecnologia, segurança e higiene, acreditando que é essa mensagem que vai dar “muita confiança a quem nos quer comprar”. A visão de Diogo Assis é de que a “segurança não se vende, sente-se”, destacando que Portugal tem uma “janela de oportunidade temporal única”. Além disso, o responsável acredita no “espírito empreendedor” dos portugueses e no “espírito de ajuste muito rápido a situações adversas”, capaz de inovar em tempo de crise: “Afeta toda a gente”, nota Diogo Assis, reiterando que “iniciativas que nos posicionam melhor no mindset internacional” devem ser feitas em conjunto.

A intervenção de Diogo Assis foi feita na terceira edição das “Tourism Talks”, promovida pela Message in a Bottle, e que se debruçou sobre a temática: “Meeting Industry: fim ou um novo começo?”