Marcelo Rebelo de Sousa apadrinha projeto da AHP

Categoria Advisor, Associativismo

Marcelo Rebelo de Sousa esteve, ontem, no Lisbon Marriot Hotel, para apadrinhar o projeto solidário da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), “1 Colchão, 1 Coração”.

Lançada no final de 2012, em plena crise económica, a ideia visava recolher, junto dos hotéis, colchões usados em bom estado que tivessem previstos ser substituídos, para distribuir por famílias carenciadas através de instituições de solidariedade. Na altura, em que ainda era presidente da AHP Miguel Júdice, houve imediata adesão e interesse por parte dos associados da AHP e a campanha passou a projeto, alargada à recolha de diversos bens fornecidos pelas unidades hoteleiras.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou, em declarações ao Ambitur.pt, que a ideia foi “muito positiva”, não só pelo seu caráter associativo mas, também, pelo momento em que surgiu. “Surgiu num contexto dramático para a economia portuguesa e para a hotelaria. A hotelaria podia ter pensado só nela, mas olhou para os outros e disse que ia apoiar as instituições de solidariedade social que estavam muito piores que eles”, salientou. “Este projeto associativo tem uma força brutal. A grande lista de entidades beneficiárias mostra que havia e há muita necessidade em Portugal. Associar o meu nome a esta iniciativa foi uma honra e um prazer porque é daquelas ideias em cheio em que não há nada errado”, frisou o ex-líder do PSD.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou, ainda, o facto de ser um projeto que consegue reunir várias entidades. “Nós somos pouco associativos em Portugal, cada um gosta de fazer as coisas à sua maneira, e, aqui, isso não aconteceu”.

Cristina Siza Vieira, presidente da AHP, lembrou que “numa indústria fortemente fragmentada, composta em mais de 90% por PME’s, poder assumir compromissos conjuntos permite trabalhar em rede, ganhar escala, eficiência e notoriedade, razões também para avançar com este projeto”.

 

Selos aos empreendimentos

Outro dos propósitos pelo qual a AHP reuniu ontem os seus associados, foi reconhecer os empreendimentos turísticos que se destacam pelas suas políticas e boas práticas de responsabilidade social e sustentabilidade ambiental, anunciando para o efeito a atribuição de selos nestes domínios. Serão entregues selos de “responsabilidade social” e de “sustentabilidade ambiental” com a data do ano da sua atribuição, podendo os selos ser conferidos em anos sucessivos, se for comprovada a continuidade das políticas e boas práticas.

“Queremos dar o exemplo e o estímulo para que cada vez mais os hoteleiros inscrevam nas suas práticas e políticas empresariais um compromisso de crescimento social, ambiental e sustentável e a AHP sente que tem o dever e um papel decisivo neste domínio”, concluiu Cristina Siza Vieira.

“A ideia dos selos pode ser muito importante senão se ficar por um selo colocado junto às receções dos hotéis. A sociedade portuguesa tem de ter noção do que aquilo significa e do que se está a fazer no setor”, advertiu Marcelo Rebelo de Sousa.