Moov: “Acreditamos que as empresas não vão parar e vão continuar a necessitar de alojamento”

Moov: “Acreditamos que as empresas não vão parar e vão continuar a necessitar de alojamento”

Os tempos são difíceis para o setor do turismo, e da hotelaria em concreto, mas Mariana Ramos, Sales & Marketing manager dos Hotéis Moov não hesita em dizer que o grupo tem sentido que, “cada vez mais, as pessoas sentem confiança para viajar”. A responsável explica ao Ambitur.pt que as empresas regressaram ao terreno, com necessidade de alojamento, e os portugueses fizeram férias cá dentro.

Moov Évora

Desde o início da pandemia da Covid-19, a cadeia hoteleira do Grupo Endutex admite que se verificaram cancelamentos das reservas para o verão de 2020, algumas adiadas para o verão do próximo ano, embora reconheça que “algumas podem ser canceladas, consoante a pandemia evoluir”. Relativamente às reservas diretas, Mariana Ramos dá conta de que são feitas cada vez “mais em cima da hora, devido a toda a incerteza que existe no momento”.

No caso dos Hotéis Moov, o que se verificou foi que os clientes optaram por visitar mais o interior do país do que o centro das cidades, explica a responsável. E dá o exemplo: “O Moov Évora recebeu mais hóspedes do que o Moov Porto Centro, o que, em época alta, não acontecia”.

No atual cenário de incerteza, Mariana Ramos não tem dúvidas de que os próximos meses não serão fáceis mas “acreditamos que as empresas não vão parar e vão continuar a necessitar de alojamento”. Claro que em menor número quando comparado com o ano de 2019, “mas a atividade não vai parar”, defende. E garante que, da experiência dos meses pós-confinamento, “os hóspedes confiam nas medidas que adotamos e ficam alojados connosco regularmente”. Pelo que, neste momento, há que continuar a apostar nas medidas adotadas, como por exemplo, a quarentena dos quartos, os procedimentos de higiene e segurança e, acima de tudo “com uma comunicação bastante clara que transmita a segurança e confiança necessárias nas nossas unidades”.

Com reservas efetudas que permitem que o grupo hoteleiro mantenha a sua atividade, Mariana Ramos assegura que não está previsto o encerramento de nenhuma unidade. Aliás, os Hotéis Moov irão abrir, em novembro, uma nova unidade, em Oeiras.

Inês Gromicho