Ocupação hoteleira em Macau cai 77,6 pontos percentuais em junho

Ocupação hoteleira em Macau cai 77,6 pontos percentuais em junho

Categoria Alojamento, Business

A ocupação hoteleira em Macau foi de 12,3% em junho e 27,2% no primeiro semestre, menos 77,6 e 63,9 pontos percentuais, respetivamente, comparando com os períodos homólogos de 2019, informaram as autoridades.

No primeiro semestre de 2010, segundo a Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), “os hotéis e pensões hospedaram 1.830.000 indivíduos, menos 73,5%, face ao idêntico semestre de 2019, enquanto o período médio de permanência dos hóspedes correspondeu a 1,7 noites, mais 0,2 noites”.

Já no mês de junho, “os hotéis e pensões hospedaram 134.000 indivíduos, menos 88%”, detalharam as autoridades.

Os hotéis de cinco estrelas foram os que registaram o maior impacto face à ausência de turistas devido à pandemia da covid-19: menos 84,7 pontos percentuais no mês de junho, ficando apenas com uma taxa de ocupação de 5,5%.

Devido às restrições fronteiriças ainda em vigor, os números de hóspedes da China (67 mil) e de Hong Kong (11 mil) desceram mais de 90%, em termos anuais, acrescentou a DSEC em comunicado.

No mês de junho, explicou a DSEC, “não se registou nenhum visitante em excursões no território, devido à manutenção das medidas de quarentena à entrada”.

“No primeiro semestre de 2020 o número de visitantes em excursões totalizou 253.000, menos 94,9%, face ao semestre homólogo de 2019”, concluiu.

Em 2019, mais de 14 milhões de pessoas ficaram alojadas nos hotéis e pensões de Macau.

Macau foi dos primeiros territórios a identificar casos de covid-19, antes do final de janeiro. O último, o 46.º, detetado em 25 de junho, quando já não havia registo de novos casos desde 09 de abril, já recebeu alta hospitalar. Macau não registou nenhuma morte relacionada com a doença e não identificou qualquer infetado entre os profissionais de saúde.