Portugal com aumento superior a 200% em viagens na Páscoa e feriado do 25 de abril

Portugal com aumento superior a 200% em viagens na Páscoa e feriado do 25 de abril

A Free Now acaba de revelar as conclusões de um estudo desenvolvido através da sua aplicação no mercado português, em Lisboa e Porto, com o objetivo de analisar o comportamento dos utilizadores durante a semana da Páscoa e o feriado de 25 de abril. Após dois anos profundamente marcados pela pandemia de Covid-19, os dados agora divulgados evidenciam um crescimento substancial do número de viagens face aos anos anteriores.

Assim, entre as principais conclusões do Observatório de Mobilidade da Free Now, destaque para o aumento de 202% do número de viagens durante o período da Páscoa. Lisboa e o Porto apresentaram subidas de 197% e 215%, respetivamente, face ao ano anterior.

Já no feriado do dia 25 de abril, o aumento foi de 220% comparativamente ao mesmo dia de 2021. Os portugueses saíram mais à rua para celebrar o Dia da Liberdade e foi registado um crescimento de 15% no número de pedidos de viagens, em comparação com o mesmo dia da semana anterior. Durante o Feriado, a cidade do Porto registou um aumento de pedidos em relação à semana anterior, de 23%. Já Lisboa apresentou uma subida de 12%.

O estudo permitiu revelar, ainda, que cerca de 22% do total das viagens do mês de abril no Porto foram efetuadas por turistas, provenientes, principalmente, de Lisboa (10%), Barcelona (3%) e Madrid (2%).

Por sua vez, durante este mês, mais de 18% das viagens feitas em Lisboa foram de turistas, sendo que 2% são do Porto, 3% de Dublin e 2% de Barcelona.

Para além disso, a semana da Páscoa, de 11 a 17 de abril, registou um aumento dos pedidos de viagens em 2% em relação à semana anterior.

Numa comparação com a semana anterior à Páscoa, Lisboa registou um aumento superior ao do Porto com mais 3% de pedidos na aplicação.

Segundo Bruno Borges, general manager da Free Now em Portugal, “a Páscoa e o feriado do 25 de abril sempre foram momentos fortes para o turismo nacional e, consequentemente, para a nossa operação. Contudo, os últimos dois anos, pelas razões que se conhece, foram exceção. Este estudo surge exatamente para confirmar, com recursos a dados objetivos, que voltamos a ter uma amostra de regresso à normalidade e que as principais cidades portuguesas voltaram a encher-se de pessoas e vida. É mais um indicador positivo depois da tempestade dos últimos anos e perspetivo que a tendência se mantenha de crescimento ao longo de todo o ano”.