Volta Nacional: “Reservas canceladas põem turismo em alerta”

Volta Nacional: “Reservas canceladas põem turismo em alerta”

Correio da Manhã

“Reservas canceladas põem turismo em alerta”

O Governo agendou de urgência, para a próxima segunda-feira, uma reunião de concertação social para discutir apoios às empresas afetadas pelo coronavírus, apurou o CM. Na hotelaria, já soam as campainhas de alarme por causa de cancelamentos. O turismo é um dos setores em que o impacto se sente com mais força. “O vírus não nos vai matar fisicamente mas vai matar empresas”, lamenta ao CM o presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros. O facto de as férias da Páscoa poderem coincidir com um período de maior incidência do vírus não deixam o setor descansado. Os cancelamentos têm chegado sobretudo de grupos, por receio de um contágio generalizado. Elidério Viegas, da associação que representa os hotéis algarvios (AHETA), avança que 60% das unidades da região já registaram cancelamentos.

“Fátima. Turismo com cancelamentos”

O maior encontro mundial de profissionais de turismo decorreu ontem em Fátima com menos 20% de participantes, que cancelaram por dificuldades nos voos. Na cidade já se nota um “impacto negativo, com o cancelamento de reservas de grupos de turistas”, diz a presidente da Associação Empresarial Ourém-Fátima, Purificação Reis.

Vida Económica

“Nenhum setor está preparado para enfrentar o coronavírus”

O coronavírus COVID-19 está em Portugal e já se sentem os seus efeitos em alguns mercados e segmentos. “O turismo está mobilizado e atento à evolução dos acontecimentos, apostando num trabalho de informação e prevenção junto dos profissionais da atividade e dos turistas”, afirma Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo de Portugal. A estratégia de momento é seguir as recomendações da Direção-Geral de Saúde (DGS).

“COVID-19 leva a contenção de custos na easyJet”

Cortes no orçamento das áreas administrativas e gastos discricionários; congelamento de recrutamento, promoções e aumentos salariais em toda a rede; adiamento de projetos não urgentes e gastos de capital; oferta de licença não remunerada e interrupção de formação não obrigatória; trabalho com fornecedores para redução adicional de custos; realocação de aviões para o verão de 2020, que oferecerão mais oportunidades de receita na recuperação do mercado. Estas são algumas das medidas tomadas pela easyJet para ajudar a diminuir o impacto do COVID-19.

“Autocaravanismo está a crescer em Portugal”

O autocaravanista português tem entre 38 e 45 anos, viaja em família (com cara-metade e um filho com cerca de sete anos), planeia com antecedência as suas viagens e inclui no itinerário paragens culturais e de atividade física na natureza, como o montanhismo. Este é, segundo os dados da Yescapa, o retrato dos portugueses que cada vez mais aderem a este tipo de turismo. O número de reservas de autocaravanas no site da Yescapa aumentou 200% entre janeiro de 2019 e janeiro de 2020, mostrando que os portugueses aderiram a esta forma de viajar. Segundo dados da Federação Europeia de Caravaning, deu-se, em 2019, um aumento de cerca de 24% nas matrículas de veículos de lazer em Portugal, um crescimento que se deve manter este ano.

Público

“TAP cancela cerca de mil voos e reduz custos”

A TAP vai cancelar cerca de mil voos por causa do impacto do novo coronavírus, uma decisão que afectará principalmente o mercado europeu, mas também o mercado intercontinental, dado “o posicionamento de companhia de longo curso e conexão”. A informação foi prestada ontem pela comissão executiva da companhia através de uma carta aos trabalhadores.

Jornal i

“Lufthansa cancela 7.100 voos em março”

A Lufthansa vai cancelar 7.100 voos até ao final de março por causa de quebras na procura relacionadas com o surto do novo coronavírus. A maior parte dos cancelamentos são voos na Alemanha, para o norte de Itália, e para outros destinos na Europa. Foi também anunciado o cancelamento dos voos para Israel, após a decisão israelita de proibir a entrada de cidadãos de vários países europeus para travar o coronavírus.

“Grupo Pestana assume impacto negativo nas reservas desde janeiro”

A propagação do coronavírus fora da China acelerou em fevereiro e o primeiro caso em Portugal foi confirmado apenas esta semana, mas o nervosismo que está a afetar o setor do turismo começou há várias semanas, segundo o maior grupo hoteleiro português. “Sente-se um impacto negativo desde janeiro que se traduz em abrandamento nas reservas e alguns cancelamentos, em especial de grupos”, afirmou fonte oficial do Grupo Pestana ao Económico Madeira. “Muitos deles não cancelam, em definitivo, mas adiam os eventos programados”.

Jornal de Notícias

“Grupo de Vale de Cambra investe 12 milhões em hotel no Funchal”

O grupo Ferpinta acaba de adquirir um hotel no Funchal, um investimento de 10 milhões de euros, com o objetivo de reforçar a sua presença no arquipélago da Madeira, onde já explora uma unidade em Porto Santo, avançou ao JN/Dinheiro Vivo, Gonçalo Teixeira, administrador da área do turismo. O futuro Vila Baleira Funchal deverá abrir portas a 20 de abril, após concluídas as obras de ampliação e remodelação já em curso, cujo orçamento ronda os dois milhões de euros.

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.