Congresso AHP: Governo reforça com 10 milhões de euros oferta de rotas aéreas

Congresso AHP: Governo reforça com 10 milhões de euros oferta de rotas aéreas

Categoria Advisor, Política

“Os turistas chegam a Portugal essencialmente por via aérea”, começou por afirmar o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, ressaltando que o Governo vai investir no programa “VIP.pt” mais de 10 milhões de euros no reforço da oferta de rotas e operações aéreas. O dirigente falava ao jornalistas à margem do 31.º Congresso da AHP, que se realiza em Viana do Castelo, recordando que o investimento de 5 milhões de euros, nos últimos anos, conseguiu captar 590 rotas e operações aéreas,  contribuindo na chegada de turistas de novos destinos do norte do continente americano ou da Ásia, exemplifica. Esse reforço vai ser sobretudo na acessibilidade ao Algarve, Madeira e Açores, além de reforçar as operações aéreas no Algarve durante o inverno. “São destinos que precisam de uma atenção especial”, refere o responsável, destacando que este “investimento demonstra a capacidade das políticas públicas e dos recursos serem colocados ao serviço da valorização da nossa economia”.

De acordo com informação do Ministério da Economia, o programa VIP.PT apoia medidas, ações e projetos de promoção turística, que visem a valorização e divulgação da oferta turística nacional dirigidos aos canais de distribuição nos diversos mercados emissores, mediante a realização de campanhas de marketing de destinos regionais. É um programa que se tem revelado essencial na captação e dinamização de novas operações aéreas para os diversos destinos em Portugal, e que compreenderá:

  • Um novo período de aceitação de candidaturas: 4 anos (abril/20 – abril/24);
  • Uma dotação de 10 milhões de euros;
  • A possibilidade de estender o apoio por um período de 4 anos (anterior versão apoia até 3 anos de operação), no caso de baseamento de aeronaves nos aeroportos dos Açores, Madeira e Algarve;
  • O reforço do apoio de campanhas de marketing em novas operações para os destinos Açores e Madeira;
  • O reforço do apoio de campanhas de marketing em novas operações que incluam o período de Inverno para o destino Algarve;
  • O estímulo à entrada de novos concorrentes em operações aéreas já existentes, provando-se o seu potencial de procura.

Relativamente aos aeroportos, Pedro Siza Vieira destaca a grande necessidade de reforço da capacidade aeroportuária em Lisboa, estando esta próxima do limite. “Esse esforço vai demorar algum tempo até termos o novo aeroporto no Montijo”, afirma o ministro, destacando que “vamos continuar a fazer investimentos em Lisboa” mas também no Porto. O aeroporto da Invicta está a “crescer significativamente” e serve a zona a norte, “uma zona muito dinâmica quer do ponto de vista económico quer do crescimento turístico”, precisa o responsável, destacando que os dois investimentos conjugados vão “permitir sustentar o crescimento do turismo e das acessibilidade aéreas ao nosso País”.

Pedro Siza Vieira considera ser fundamental “continuar a apoiar as nossas empresas do setor turístico na requalificação da oferta”, acrescentando que “há investimentos muito significativos que terão de ser feitos nos próximos anos” para melhorar a eficiência energética, reduzir os resíduos e a pegada ecológica das unidades”, além da “digitalização das operações e nas relações com os clientes”. Nesta linha, Siza Vieira destaca o reforço de 250 milhões de euros nos próximos quatro anos quanto à linha de oferta à qualificação da oferta. “É uma linha de  crédito, em condições favoráveis garantida parcialmente pelo Estado, que será distribuída através do setor bancário”, sublinhando que “vamos intensificar nesta próxima legislatura o esforço de qualificação das nossas unidades hoteleira e no turismo em geral”.

Cristiana Macedo, no 31º Congresso da AHP, Viana do Castelo