Guia técnico de reabertura para estabelecimentos de hotelaria by Proquimia

Guia técnico de reabertura para estabelecimentos de hotelaria by Proquimia

Categoria Business, Empresas

A Proquimia, empresa multinacional espanhola com operação em Portugal, dedicada ao fabrico e comercialização de produtos químicos de limpeza e desinfeção, criou um manual técnico para os estabelecimentos hoteleiros retomarem a sua atividade, com cuidados redobrados no que respeita aos processos de limpeza e desinfeção das suas instalações para garantir a máxima segurança de trabalhadores e clientes. Oferecer um ambiente seguro será chave no momento de retomar a atividade, refere a empresa.

Este manual dirige-se a apartamentos turísticos, serviços de restauração, alojamento rural, parques de campismo, albergues turísticos, hostels e similares. Pretende ser um guia com os aspetos a ter em conta para o retorno à atividade com a máxima segurança para trabalhadores, colaboradores e clientes.

Medidas de atuação para os empregados
Como os empregados que acedam ao estabelecimento fechado podem ser os portadores do vírus, é
imprescindível implementar um plano de formação ao pessoal para que adaptem uma série de medidas
preventivas e protocolos de atuação para evitar a contaminação de superfícies e de outros empregados
ou clientes.

A Proquimia propõe três níveis de formação:
1. Nível Empregado de Limpeza
Informação geral sobre Covid-19. Condutas de prevenção, métodos de limpeza, utilização e riscos dos
produtos químicos, tipos de desinfetantes a utilizar, prevenção riscos laborais, utilização de EPIs, como
agir perante suspeita de contaminação, como agir em caso de sentir sintomas.
2. Nível Empregado
Informação geral sobre Covid-19. Condutas de prevenção, tipo de desinfetantes a utilizar, prevenção
dos riscos laborais, utilização de EPIs, como agir perante suspeita de contaminação, como agir em caso
de sentir sintomas.
3. Nível diretivo
Informação geral sobre Covid-19. Novos protocolos adotados, responsabilidades na aplicação de
medidas, vigilância e deteção de sintomas, normas de actuação face a positivos, prevenção dos riscos
laborais, utilização de EPIs, como agir perante suspeita de contaminação, como agir em caso de sentir
sintomas.

Medidas Prévias
Ter planificadas as tarefas e preparados de forma individual os materiais e produtos para uma correta limpeza e desinfeção.
– Entrega de EPIs no primeiro dia de trabalho.
Máscaras, luvas, viseiras, panos descartáveis…
– Dispor dos materiais necessários para uma correta higiene e desinfeção.
– Dentro do possível, é conveniente realizar testes a todos os empregados para determinar:
1. Seu estado viral, por PCR.
2. Seus anticorpos mediante kit rápido, grau de imunidade.

Protocolo de atuação para empregados ao chegar
– Cumprir com todas as medidas de prevenção indicadas pela direção.
– Os empregados com síntomas não devem comparecer no local de trabalho e devem contactar com a linha Saúde 24 e seguir as instruções.
– Os grupos de risco vulneráveis ao Covid-19, de acordo com o protocolo oficial não devem comparecer no local de trabalho e deverá contactar com o seu médico assistente para que emita a declaração correspondente.
– Lavar as mãos ao chegar ao local de trabalho com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos.
Este procedimento deverá repetir-se frequentemente e/ou utilizar gel hidroalcóolico VITA ASEPGEL.
– Mudar de roupa e sapatos (usar vestuário exclusivo para o trabalho).
– Sempre que possível, manter uma distância mínima de segurança superior a 2 metros em relação a outros trabalhadores e pessoal externo.
– Evitar saudações com contacto físico, incluindo dar as mãos.
– Cobrir o nariz e a boca com lenço de papel descartável ao tossir ou espirrar e deitar fora de seguida num caixote com pedal e bolsa interior com fecho. Se não dispuser de lenço de papel, use a parte interna do braço.
– Se utilizar-se máscara de proteção e luvas, especialmente se houver interação com outras pessoas e em zonas comuns.
– Evitar, sempre que possível, utilizar equipamentos e dispositivos de outros trabalhadores. Se não for possível, desinfete-os antes de utilizar.
– Desinfetar a máscara de proteção ao final do dia de trabalho, aplicando ASEPCOL na parte exterior da máscara e guardá-la de forma limpa e segura.
– Não se pode partilhar comida nem objetos (talheres, pratos, copos, telefones…) sem os limpar e desinfetar previamente.
– Não fazer as refeições na mesma mesa, a menos que haja uma distância de 2 metros entre 2 pessoas.
– Ao terminar deverão lavar-se as mãos e preferencialmente tomar duche no posto de trabalho e vestir roupa de rua.
– O uniforme de trabalho será embalado e fechado e será transportado até ao local onde se faça a sua lavagem, que será realizada com um ciclo completo a uma temperatura superior a 71ºC com um detergente completo, ECOTROPIC ou com um detergente acrescido de um oxidante ECOCONPACK ALC, ECOCONPACK ZYM e ECOCONPACK OXI a 60 ºC
– Manter-se-ão as medidas de prevenção de contágios e higiene em casa, sobretudo se vive com pessoas dos grupos de risco.

Normas de Higiene Pessoal
Lavar as mãos com frequência durante a jornada laboral e sempre:
> Ao chegar e sair do posto de trabalho.
> Ao retirar as luvas.
> Antes e depois de comer.
> Antes de tocar no nariz, boca e olhos
> Depois de tossir, espirrar ou assoar o nariz.
> Depois de entrar em contacto com alguém que tussa ou espirre.
> Depois de usar os sanitários.
> Depois de tocar ou limpar superfícies que possam estar contaminadas.
> Depois de usar ou partilhar equipamentos eletrónicos como o telemóvel, teclado ou o rato dos computadores pessoais.

Materiais a procurar para a reabertura
Para a reabertura de um estabelecimento, deverá dispôr dos materiais necessários para a prevenção e proteção dos empregados:
> Sabão dermoprotetor sem perfume para a limpeza e proteção das mãos dos manipuladores de alimentos. VITABAC, VITABAC FOAM ou VITALIM.
> Sabão dermoprotetor perfumado para a limpeza e proteção das mãos do pessoal e dos clientes.
VITASAN, VITA HAND ou VITA FOAM.
> Gel hidroalcoólico desinfetante de mãos para uso do pessoal e dos clientes, através de dispensadores automáticos (non touch). VITA ASEPGEL.
> Luvas descartáveis de nitrilo ou silicone.
> Máscaras auto filtrantes FPP2 e cirúrgicas.
> Óculos ou viseiras de proteção.
> Fatos de macaco de material descartável para a limpeza de zonas críticas.
> Toucas de material descartável.
> Posters informativos com normas de prevenção e boas práticas face à COVID-19.
> Termómetros por infravermelhos.
> Papeleiras com pedal e bolsa interior.
> Material de limpeza e produtos de limpeza e desinfetantes segundo protocolo por zonas.
> Dispensadores automáticos, DOSIHAND, para o sabão de mãos e gel hidroalcoólico.

Medidas de atuação para fornecedores e outros serviços auxiliares
Antes da abertura do estabelecimento, pessoal externo da empresa pode aceder às instalações, como é o
caso de fornecedores. É importante que estas pessoas que acedem às zonas de carga e descarga de
mercadorias e matérias primas atuem corretamente.

Protocolo de atuação para fornecedores e serviços externos
> Só sairão do veículo para a realização das operações estritamente essenciais, não se afastando nem circulando livremente pelo estabelecimento.
> No caso de ser necessário por motivos operacionais, o motorista deverá lavar as mãos ou desinfetar-se com gel hidroalcóolico, VITA ASEPGEL e usar máscara cirúrgica no recinto do estabelecimento.
> Manter uma distância de mais de 2 metros de qualquer outro trabalhador durante a entrega de mercadorias e evitar cumprimentos físicos.
> Reduzir o intercâmbio de objetos, material de escritório, faturas, folhetos, notas de remessa, etc.
> O pessoal de serviços auxiliares que deva aceder ao estabelecimento tem de seguir as mesmas recomendações e medidas preventivas que o restante pessoal próprio do estabelecimento.

Limpeza e desinfeção dos materiais e matérias-primas que chegam
> Limpar e desinfetar todos os produtos, embalagens e materiais que cheguem às instalações antes de os distribuir aos respetivos departamentos.
> Limpar e desinfetar periodicamente tanto o economato como os distintos armazéns de produtos: solos, estantes, portas, maquinaria de transporte, etc.
> Em caso de intercâmbio de objetos, desinfetar adequadamente o objeto e lavar as mãos.
> Limpar e desinfetar qualquer utensílio ou equipamento usado nas tarefas de carga ou descarga ou manutenção.
> Desinfetar frequentemente os pontos críticos de elevada manipulação tais como maçanetas, puxadores e barras de portas e mobiliário, escritórios, material de fábrica, interruptores, comandos de ar condicionado, telefones, botoneiras de elevadores e monta cargas, equipamentos informáticos,etc. que possam ter estado em contacto com pessoal externo.

Medidas de atuação para clientes
> Com a chegada dos clientes aos estabelecimentos se deverão tomar as medidas adequadas de prevenção e proteção.
> Considerar a colocação de vidros ou proteções de acrílico nos balcões de receção.
> Serão fornecidas luvas e máscaras ao pessoal de front office, valet e paquetes.
> Na entrada do estabelecimento devem mostrar-se de forma clara as medidas preventivas e de atuação adotadas em relação a boas práticas de prevenção e comunicação em caso de sintomas.
> Facilitar uma correta higiene e desinfeção de mãos dispensando gel hidroalcóolico desinfetante, VITA ASEPGEL, através de dispensadores automáticos (non touch) na entrada e nas casas de banho.
> Incumbir o pessoal da receção na limpeza periodica do balcão de receção e elementos comuns.
> Deve garantir-se a distância de segurança nas filas de espera, assim como respeitar a distância entre empregado e cliente.
> Estabelecer a capacidade do local para garantir as medidas de distanciamento indicadas pela administração.
> O pessoal de serviço do refeitório deverá recomendar aos clientes a desinfeção das mãos com gel desinfetante à entrada e saída da sala e dos acessos ao bar e salões.

Outras recomendações que podem prevenir o contágio
> Se for possível, considerar uma única pessoa para a cobrança na caixa (receção, bares, restaurantes, bares de praia, etc…)
> Dar preferência ao pagamento com cartão de débito/crédito, que só será manipulado pelo cliente, evitando o contacto com dinheiro. No caso de tocar em moedas ou notas, lavar as mãos ou desinfetá-las depois.
> Disponibilizar condimentos em embalagens individuais, entregues pelo funcionário na mesa.
> Eliminar as almofadas, cortinas e elementos de decoração que não sejam indispensáveis ou que sejam de difícil limpeza.
> Facilitar a abertura da porta de entrada para evitar o contacto dos clientes.
> Sinalizar com autocolantes no chão a distância de segurança para os clientes que esperem mesa no interior do restaurante.
> No caso de oferecer serviço de buffet, sinalizar no chão a distância de segurança entre clientes.
> Eliminar das mesas a decoração de difícil limpeza.
> Utilizar coberturas descartáveis nas mesas.

Depois de cada serviço, para a limpeza e desinfeção do local, deverão seguir-se os mesmos protocolos de atuação para a configuração da abertura do local e o pessoal deve tomar as medidas necessárias que garantam a desinfeção de todas as superfícies que possam ter sido contaminadas.

Plano de Limpeza e Desinfeção
Para garantir ao cliente um estabelecimento limpo, assético e livre de Covid-19 deve disponibilizar-se um plano documentado de limpeza e desinfeção, a ser personalizado onde se detalhe os elementos a limpar, a ordem para fazê-lo, materiais e produtos químicos a utilizar, a sua concentração de uso, os EPIs a empregar em cada tarefa e a gestão do material de limpeza após o seu uso.

> Utilizar um detergente desinfetante no protocolo de limpeza habitual do restaurante.
> Limpar e desinfetar os sanitários incluíndo torneiras, vidros e espelhos.
> Limpar e desinfetar periodicamente todas as superfícies e equipamento da sala de refeições incluindo o chão, buffet, câmaras, dispensadores de bebidas, etc.
> Limpar e desinfetar toda a loiça e talheres utilizando lava loiça automáticos depois de cada mudança de mesa.
> Utilizar panos e esponjas distintos em cada zona e preferencialmente de cores distintas. Uma vez usados, guardar em bolsa fechada para a sua posterior lavagem e desinfeção.
> Utilizar papel descartável para os processos de limpeza sempre que possível.
> Limpar e desinfetar as cadeiras e as mesas que não usem toalha após cada cliente.
> No caso da utilização de atoalhados, retirar a toalha e a cobertura após cada uso e colocá-los em bolsas individuais para a sua posterior limpeza e desinfeção. Assegurar que cada lavandaria utiliza temperaturas superioresa 71ºC no processo.
> Desinfetar frequentemente os pontos de múltiplos contactos tais como puxadores de portas, móveis, utensílios, interruptores, material de escritório, dispensadores, etc.