Vê Portugal: “É necessário apostar num maior crescimento no território”

Vê Portugal: “É necessário apostar num maior crescimento no território”

Categoria Advisor, Associativismo

No painel da sexta edição do Fórum do Turismo Interno, promovida pelo Turismo Centro de Portugal em Castelo Branco, dedicado ao “Binómio: Portugal para Viver. Portugal como Destino Turístico” Luís Marques Mendes começou por felicitar o Turismo do Centro pelo trabalho que tem vindo a realizar e na capacidade de “mobilizar os agentes e o setor privado e público”. Para o conselheiro do Estado, esta sinergia permitiu um crescimento acima da média nacional.

Este evento, que decorreu em várias cidades, é visto pelo mesmo como sendo “feliz, importante e pertinente” e a razão é clara: “o turismo é dos setores mais importantes para desenvolver Portugal”. Apesar de antes se dizer que havia turismo a mais, Marques Mendes prefere “antes a mais do que a menos”, salientando a mudança de atitude pelas entidades e o esforço que fizeram para que o Turismo represente, hoje, “9% do PIB Nacional”, sendo o maior setor exportador nacional (25%)”. Para o ex-ministro dos Assuntos Parlamentares, isto é um “reflexo do emprego nacional (10%)” que gera, por dia, em Portugal, 28 milhões de receitas.

Estes resultados são um “orgulho na mudança”, em que foi aplicada “lucidez, profissionalismo e visão estratégica”. O Conselheiro de Estado apontou a “boa imagem no exterior” através da credibilidade, hospitalidade e segurança; os “grandes ativos estratégicos para atrair turistas” (o clima, a gastronomia, a história e, mesmo qualificação de recursos humanos e as realidades locais); a aposta na iniciativa privada; e o investimento que tem sido feito na imprensa internacional e no marketing digital (“A imagem que o país passa é o chamado “ novo caminho para a Índia”). Todas estas razões “primordiais” justificam, para Marques Mendes, este crescimento mas necessitam de continuidade.

Olhando para o quadro mundial marcado pela insegurança e pela instabilidade, Portugal está com uma vantagem, com um desafio e com uma necessidade. “Nós temos uma convicção europeia e credibilidade internacional. Temos de valorizar o que temos”, assevera o ex-governante. O desafio para os próximos anos para o Governo é o de crescimento. “Estamos com um crescimento acima da média europeia mas isso é porque países como a Alemanha estão a crescer pouco. É necessário apostar num maior crescimento no território.”, indica Marques Mendes, referindo que é necessário “fazer um esforço na mudança de atitudes e fazer mais do que aquilo que é urgente: é fazer aquilo que é importante”, remata.

Cristiana Macedo, em Castelo Branco